Empresários Brasileiros adotaram “made in Paraguai” para alcançar competitividade

Estimativa é de que 20 empresas do Brasil já estejam investido no Paraguai.

       No G1  hoje (07/11) pela manhã li uma reportagem que me preocupou bastante sobre empresários brasileiros que estão indo investir no Paraguai.

Veja a reportagem:

“O empresário brasileiro Luiz A. Saldanha Rodrigues, que há 23 anos é dono de duas fábricas de seringas em Ourinhos (SP) e em Manaus (AM), precisou expandir a produção e decidiu abrir a terceira unidade em Pedro Juan Caballero, cidade do Paraguai com 100 mil habitantes na fronteira com Ponta Porã (MS) e cuja atividade básica da economia é o comércio de produtos importados. O objetivo, diz Rodrigues, é baratear o custo de produção para enfrentar a concorrência chinesa, que dominou o mercado de seringas e fez com que a empresa parasse de exportar.

O interesse em cruzar a fronteira paraguaia para crescer fora do Brasil ganhou força desde o ano passado. Atraídas pela combinação de imposto baixo, mão de obra abundante, energia barata e uma economia que cresceu 15% em 2010, empresas brasileiras estão escolhendo o Paraguai na hora de expandir sua produção. A estimativa de empresários e autoridades é que produzir no Paraguai seja, em média, 30% mais barato que produzir no Brasil.Veja a diferença:

TRIBUTOS NO BRASIL *        TRIBUTOS NO PARAGUAI (LEI DE MAQUILLA)
ICMS                Média 17%                  Não tem
IPI                     Média 10%                 Não tem
PIS                         1,65%                   Não tem
COFINS                7,6%                       Não tem
Imposto único     Não tem          1% sobre o valor agregado ao produto no Paraguai
Fonte:Advogados tributaristas Guilherme Roman, da Gasparino Advogados e André Mendes Moreira, do Sacha Calmon-Misabel Derzi Consultores & Advogados *Allíquotas variam de setor para setor.

A estimativa  é que até o mês de outubro já haviam cerca de 20 empresas instaladas no país com capital brasileiro. A expectativa, segundo o diretor da Rede de Inversiones y Exportaciones (Rede de Investimentos e Exportações – Rediex), Oscar Stark, é de que 50 empresas brasileiras invistam no Paraguai até o final de 2012. “Nosso esforço está praticamente todo concentrado no Brasil. Trabalhamos com a meta de que 50 empresas invistam no Paraguai cerca de US$ 5 milhões cada uma até [o fim de] 2012”, afirma.

Tanto investimento reflete o esforço do governo paraguaio em levar empresas brasileiras para fortalecer a indústria local do Paraguai, que é fraca, e gerar empregos. “Todo dia recebemos quatro ou cinco investidores e 80% são brasileiros”, diz Stark, que abriu um escritório da Rediex em Curitiba especialmente para receber as visitas”.

Depois de ver  esta reportagem logo questionei-me por o Paraguai que é considerado como um país com menos desenvolvimento que o nosso esta buscando meios de atrair empresas estrangeiras e enquanto o Brasil esta perdendo estas empresas de braços cruzados? Será que o Governo não percebe que junto com estas empresas vão os empregos? Será que é necessária uma carga tributária tão alta?

Veja o resultado de uma pesquisa do Banco Mundial apresentada na Revista.

Estudo do Banco Mundial, descrito em artigo de Marcelo Carneiro, publicado na Revista Veja nº 1874 de 6 de outubro de 2004, apresenta dados de levantamento junto a 1642 empresas sobre as razões que limitam os investimentos das empresas no Brasil. Pela ordem:

84,5% – Carga tributária
75,9% – Incerteza quanto à política governamental
71,7% – Crédito
67,2% – Corrupção
52,2% – Crime
39,6% – Falta de qualificação da mão de obra
32,8% – Ineficiência da justiça
20,3% – Eletricidade

Como vamos deixar de ser um país em desenvolvimento para ser um País desenvolvido desta forma??? O Brasil é um país em desenvolvimento, porém esta perdendo empresários para o Paraguai devido  sua alta carga tributária, são imposto federais, estaduais e municipais (ICMS, IPI, PIS, COFINS, ISS, IOF, ICMS, IPVA, IPTU, ISS)? É óbvio que os empresários frente aos altos impostos cobrados no Brasil e tendo que competir com os baixos preços da indústria chinesa, irão buscar novas alternativas para obterem competitividade e não fecharem as portas. E a saída que muitos estão encontrando é investir no Paraguai, que bom para os paraguaios e que péssimos para os brasileiros, em especial para os dos estados vizinhos ao Paraguai que seriam os mais beneficiados pelos empregos gerados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *