A Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (Uenf) confirmou o retorno das aulas para segunda-feira (22/08), após uma greve dos docentes que durou sete meses. Porém, é de conhecimento de todos que a universidade enfrenta a pior crise financeira de sua história ao longo de seus 23 anos de existência e, como reflexo disso, os vigilantes, uma das classes atingidas pela crise, podem parar as atividades por tempo indeterminado na próxima semana.

Nesta quinta-feira (18/08) os vigilantes realizaram uma paralisação de advertência com duração de 24h. A categoria está com salários atrasados por quatro meses, sem receber os vales de alimentação e transportes.

“Nós entendemos a dificuldade do Governo, só que a empresa tem que buscar os meios para arcar com as despesas de seus funcionários, mas ela está protelando. A empresa anterior teve um prejuízo de R$4 milhões, mas não ficou devendo aos trabalhadores”, disse Luiz Carlos Rocha, presidente do Sindicato dos Vigilantes em Campos.

Rocha explica que já ficou programada para semana que vem, a reunião da categoria que pode ser deflagrada a paralisação por tempo indeterminado. “Temos agora um prazo de 72h para notificar a empresa e a universidade da paralisação por tempo indeterminado”, disse acrescentando que ainda luta pelo armamento dos vigilantes, uma vez que o contrato é para vigilância armada e a empresa ainda não disponibilizou equipamentos à categoria.

Ao todo 84 vigilantes atuam na Uenf há oito meses através da contratualização com a empresa K9 Vigilância Patrimonial. Por causa dos salários atrasados, o Hospital Veterinário da Uenf iniciou uma campanha de arrecadação de fundos para compra de cestas básicas para ajudar famílias dos vigilantes, tendo os primeiros beneficiados sendo contemplados no último dia 26.

Durante o movimento de advertência dos vigilantes, o reitor da Uenf, Luis Passoni, chegou a informar que está esperando o repasse do Governo do Estado para honrar os compromissos. A universidade tem uma dívida que, segundo carta aberta dos professores, já beira R$ 20 milhões. A expectativa é de que o governo envie recursos à universidade até o próximo dia 23, quando professores fazem uma nova assembleia para avaliar se as negociações avançaram ou não.

RETORNO DAS AULAS
Ao suspender a greve no último dia 9, a Associação dos Docentes da Uenf (Aduenf), através do Comando de Greve, fez um breve relato dos compromissos assumidos pelo Governo do Estado, entre os quais estão a liberação de verba no valor de R$ 3 milhões por mês para o custeio e pagamento de bolsas, pagamentos das dívidas de janeiro de 2016 até a presente data, pagamento do adicional de insalubridade e periculosidade, além da formação de comissão para discussão e elaboração de novo plano de cargos e vencimentos para a Uenf.

No documento, os docentes ressaltaram ainda a preocupação com a segurança nos campi, onde há cursos noturnos. A empresa que presta serviço de segurança na Uenf está com pagamentos de salários atrasados e sem o pagamento de custeio não há como garantir o serviço de segurança.

As Câmaras de Graduação e de Pós-Graduação aprovaram os novos calendários referentes ao 1º semestre de 2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *