A Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (Uenf) completou, nesta quarta-feira, 24 anos de fundação. Em meio à crise pela qual passa a instituição, com falta de verbas de custeio desde outubro de 2015 e atraso do 13º salário de 2016, servidores organizaram uma programação especial para comemorar a data. Pela manhã aconteceu a reunião do Conselho Universitário (Consuni) comemorativo, que contou com a participação do reitor Luis Passoni. Foi aberta, também, a terceira edição do Bazar Sintuperj-Uenf, no Centro de Convenções. Ainda nesta quarta, aparentemente como um presente de aniversário, o Estado anunciou que quitou os salários pendentes de maio, junho e julho de todos os servidores. Já os alunos bolsistas devem receber até esta sexta-feira.

Às 10h, foi feita a abertura oficial da programação de aniversário, com homenagens aos servidores e ex-servidores dos centros e da administração que compõem a Uenf. Na ocasião, Passoni afirmou que, neste momento, é importante debater sobre a situação do país, que se reflete na crise da educação superior pública:

—Tivemos um alento ontem (terça-feira), com o pagamento dos salários atrasados. Mas a gente não pode considerar que todos os problemas foram resolvidos. É bom a gente se preparar para um novo período de luta e de resistência da universidade. Temos pouca tradição de analisar nossos problemas dentro de um contexto global, mas é importante lembrar que nenhum país é uma ilha. Todos nós estamos inseridos neste contexto, e é ele que direciona as ações internas daqui e os acontecimentos internos do nosso país.
Dois servidores de cada centro (um professor e um técnico) foram homenageados durante o Consuni. Pelo CBB, foram homenageados o professor Flávio Miguens e a técnica Luciana Bahia. O centro também fez homenagens póstumas aos servidores Marta Gobbo e Antônio Carlos de Oliveira Pessanha. Já o Centro de Ciências do Homem (CCH) homenageou a professora Vera Lúcia Deps e a técnica Raquel Quintanilha. Pelo CCT, foram homenageados o professor Édson Corrêa e o técnico Oséas Ferreira Dos Santos. E pelo CCTA, a professora Magali Hofman e o técnico José Geraldo. A reitoria prestou homenagens aos técnicos Edwirges Teixeira, Márcio Toledo e Tânia Virgínia de Souza, além do funcionário terceirizado Oswaldo Barros Crespo, da empresa Fertimar, e a própria empresa, que presta serviços de limpeza e recepção.
Durante a tarde, foram realizadas discussões sobre as obras e o pensamento de Darcy Ribeiro e o futuro da universidade, no seminário “Darcy Ribeiro 20 Anos – Que falta ele nos faz”, com a participação da professora Adélia Miglievich (Ufes), Cacique Álvaro Tukano (diretor do Memorial dos Povos Indígenas), Paulo Ribeiro (presidente da Fundação Darcy Ribeiro) e Maria de Nazareth Gama e Silva (Fundação Darcy Ribeiro). O debate foi mediado pela vice-reitora da Uenf, Teresa Peixoto.
Bazar – Paralelamente às atividades comemorativas, está sendo promovido o Bazar Sintuperj-Uenf, que reúne servidores da universidade e da rede Faetec que passam por problemas relacionados aos salários e às verbas de custeio para as unidades. Nesta edição, formada por 25 expositores, estão sendo comercializados diversos produtos, como artesanatos, alimentos, bijuterias e de botânica, entre 11h e 19h. Houve, também, o Happy Hour com participação de artistas regionais, como Flávia Élle, Pedro Maia, Atroz Rock Band e Júlio Motta.

Servidora da universidade, Ana Paula Erthal é uma das participantes do bazar. Ela contou que uma das atrações é a realização do encontro de ex-alunos da instituição, que acontece anualmente fora do campus. Este ano, no entanto, eles se reunirão no polo universitário como uma forma de mostrar que a Uenf é parte da população campista.

— Ninguém – quem passou pela Uenf ou quem tem pretensão de vir – se conforma com a situação que estamos passando em relação à negligência do governo do Estado, com falta de verba de custeio e de salários. Os salários foram colocados em dia ontem (terça-feira), só que não tem o calendário de agosto. Então, a gente sabe que foi pago por conta da venda da folha de pagamento. Mas o que o Estado está priorizando? A educação está sendo negligenciada no estado inteiro. Estamos fazendo o evento aqui para mostrar e debater o que a sociedade quer. Nós, que trabalhamos e estudamos aqui, e as pessoas que passaram pela Uenf não estão se conformando com essa situação — declarou.

Pagamento – O Governo do Estado informou nesta quarta-feira que quitou, nesta quarta-feira (15), os vencimentos pendentes de maio, junho e julho para todos os servidores ativos, inativos e pensionistas que ainda não tinham recebido os vencimentos integrais.

O Estado informou também que tiveram início os pagamentos totais de R$ 60 milhões das bolsas da Uerj, Uezo e Uenf, Hupe e Faper, referentes aos meses de maio, junho e julho. Os depósitos relativos às bolsas prosseguem até esta sexta.

Fonte: Folha da manhã

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *