Ulli Marques

 

 

Antonio Cruz

Os moradores do Parque Imperial, em Campos, têm sofrido as consequências do transbordamento de esgoto nas ruas do bairro. O problema que, segundo as pessoas que residem no bairro, está acontecendo há cerca de 20 dias, além de incomodar a população por conta do mau cheiro e da proliferação de mosquitos, tem prejudicado ainda as crianças, de zero a quatro anos, que estudam na creche-escola Parque Imperial. A água contaminada invade o pátio da creche e, para evitar riscos à saúde dos alunos, a limpeza no local tem que ser realizada constantemente. 
O problema afeta, principalmente, duas ruas do bairro, já que o esgoto que transborda fica localizado na esquina da rua Flodoardo Martins Silva com a rodovia Lourival Martins Beda. As pessoas moram ali já entraram em contato com a concessionária responsável pelo saneamento básico do bairro, a Águas do Paraíba, mas nenhuma solução foi apresentada. O empresário Fabiano Maciel Martins disse que a concessionária já esteve no bairro, mas ainda não mandou uma equipe para realizar as obras de reparação.
— Uma equipe técnica já esteve no local e identificou o problema e suas causas, no entanto, ainda estamos aguardando uma solução eficaz para esse problema. De hora em hora o esgoto transborda, causando um fedor insuportável, deixando as ruas cheias de água e ajudando na proliferação de mosquitos, até mesmo os transmissores da dengue — disse Fabiano. Segundo ele, há muita preocupação também com doenças que acontecer recorrentes à água do esgoto.
A creche é a que mais sofre com o problema. As crianças matriculadas no local não podem utilizar o pátio, já que várias vezes durante o dia, ele é invadido pela água contaminada. A limpeza é feita regularmente pelos próprios professores, mas a preocupação ainda é grande.
A assessoria de imprensa da Águas do Paraíba informou à Folha da Manhã que a rua Flodoardo Martins Silva, assim como a rua Pedro Maciel Neto e a rua Ivan Jader, possuem redes antigas de esgoto que se tornaram insuficientes para a coleta dos dejetos que aumentaram significativamente no bairro. Para reslver o problema, a Águas do Paraíba iniciou ontem a implantação de seis novos poços de vista com o objetivo de recaucar o esgoto para a ETE Imperial. As obras devem ser concluídas até sexta-feira (13).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *