Os mandatos dos vereadores Dante Pinto Lucas (ex-PDT e atual PSC), Dona Penha (ex-PPS e atual DEM) e Gil Vianna (ex-PSDC e atual PR) serão requisitados na Justiça pelos suplentes Jorginho Santa Clara (PDT), Jô de Ururaí (PPS) e Adão Faria, do PT, que se coligou com o PSDC na eleição proporcional de 2008. A informação foi divulgada no blog Opiniões através de um comentário do presidente municipal do PRP, Fabrício Lírio.
Segundo fontes, as ações foram pedidas pelos suplentes, que contam com o apoio dos presidentes do três partidos envolvidos. Especialista em direito eleitoral pela PUC-MG, o professor Paulo Vizella tem trabalhado na pesquisa de jurisprudência para robustecer a ação do advogado Vítor Almei-da, que tem prazo até a próxima quinta, dia 3, para dar entrada na 100ª Zona Eleitoral de Campos, subindo depois ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), onde será julgada. Segundo Vizella informou, pela resolução 22.610 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a decisão do TRE terá que será tomada, no máximo, 60 dias após o ingresso da ação.
A decisão difere do provável caminho que seria tomado pelos presidentes, que, na época em que as trocas de partidos acontecerem, disseram que não iriam pedir os cargos no Legislativo. O ex-prefeito Sérgio Mendes, presidente do PPS em Campos, contou que entrou em contato no dia sete deste mês com a Executiva Regional para saber o que seria feito e, alguns dias depois, revelou que não haveria problema com a saída da vereadora Dona Penha.
Outro que admitiu não ter problemas com a saída de um vereador do seu partido foi o deputado estadual João Peixoto, o mesmo que cobrou publicamente uma posição de Gil Vianna, já que o PSDC integra a Frente Democrática de Oposição e o edil está alinhado com o governo municipal. À época, o vereador teve que decidir seu destino e foi para o PR, da prefeita Rosinha Garotinho.
— O PSDC não vai tomar qualquer tipo de iniciativa contra o vereador Gil Vianna. Ele foi homem, nos procurou, conversou e saiu do nosso partido — disse João Peixoto, que é presidente estadual do PSDC. Porém, o suplente que busca a vaga de Gil faz parte do PT, que em 2008 caminhou com o PSDC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *