População desavisada só pôde contar com vans e carros de passeio 

      Ontem (23/01)  uma reunião dos motoristas e cobradores das empresas de transporte coletivo de Campos decidiram iniciar, às 0 hora de terça-feira (24/01), uma paralisação de 24 horas.

Durante toda a madrugada, funcionários fizeram piquetes em frente aos portões das empresas, para impedir que os coletivos deixassem as garagens.

A paralização causou um grande transtorno para a população, pois muitas pessoas foram pegas de surpresa, por isto centenas de pessoas se aglomeraram nos pontos de ônibus em toda a cidade e só podiam contar vans lotadas e carros de passeio como opção.

De acordo com o presidente do Sindicato da categoria, Roberto Virgílio, o motivo da paralisação foram:

—– atraso do pagamento de dezembro, que deveria ter sido efetuado até o último dia 5 deste mês;

—– reivindicações como o repasse do INSS que é devidamente descontado;

—– as férias de muitos trabalhadores que já gozaram do direito, sem receber;

—– cerca de 200 rescisões de uma única empresa que ainda não foram pagas;

—– contra-cheques que não são fornecidos aos funcionários; e

—– acúmulo da função de motoristas que também atuam como cobradores.
O presidente do Sindicato da categoria afirmou que até agora não houve acordo com nenhuma empresa, pois nenhuma empresa entrou em contato com o sindicato para buscar um consenso sobre a paralisação.

Hoje (24/01) os motoristas e cobradores devem realizar uma nova assembleia às 20h para optar pelo o fim ou a continuidade do movimento.                                    

VISITE SEMPRE: http://fabriciolirio.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *