Sem diagnósticos, dengue reduz a zero

Jhonattan Reis
Foto: Tércio Teixeira

Pacientes com suspeitas de doenças causadas pelo mosquito Aedes aegypti, como dengue e zika, procuraram as redes sociais para denunciar uma possível interrupção nos últimos dois meses da parceria entre a Prefeitura de Campos e o laboratório Plínio Bacelar para a realização dos exames de sorologia e diagnóstico dos vírus. Neste período, os casos de dengue caíram para zero nos meses de maio e junho, segundo dados da secretaria municipal de Saúde.

Apesar dos mutirões de combate ao mosquito e a diminuição natural dos casos da doença no período de estiagem, a falta dos exames deixa preocupada a população que depende do serviço do laboratório, que atende pacientes encaminhados pelo Centro de Referência de Doenças Imunoinfecciosas (CRDI). O motivo do rompimento seria falta de pagamento, o que foi confirmado pelo próprio Plínio Bacelar.

Segundo o diretor do CRDI, Luiz José de Souza, a parceira é importante no atendimento do CRDI.

— O diagnóstico desse laboratório é muito rápido. Em um dia se faz o exame e no outro já há o resultado. O que me preocupa é sobre os exames ligados ao zika vírus e à gravidez, mas o próprio laboratório está fazendo — disse Luiz José.

Em uma postagem na rede social, um paciente apontou que os exames não estariam sendo feitos.

— Os exames (…) eram feitos pelo Laboratório Plinio Bacelar, tudo de graça, 100% SUS (Sistema Único de Saúde). O serviço segurou a epidemia e poupou muitas vidas — declarou.

Em nota, o laboratório Plínio Bacelar informou que os atrasos são referentes à contratualização e ao atendimento emergencial e que, mesmo assim, tem realizado alguns atendimentos de pacientes do SUS.

Já a secretaria de Saúde informou que que realizou todos os tramites administrativos para pagamento de todas as notas da instituicao conveniada e que novos pagamentos estão sendo atualizados e reprogramados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *