Dez mil consultas e cerca de 800 partos por mês. São números expressivos como estes que marcam o projeto do Hospital Estadual da Mãe – unidade São Gonçalo. O município da Região Metropolitana é o segundo maior em população do Estado do Rio de Janeiro e apresenta déficit de 105 leitos para partos de baixa complexidade. Diante desta  necessidade real de atendimento às gestantes da cidade, o Governo do Estado decidiu criar o projeto do Hospital da Mãe, que terá 100 leitos, 14 salas de PPP (pré-parto, parto e pós-parto) e trêssalas para parto cirúrgico.

Haverá ainda leitos de terapia intensiva para mães e bebês. Serão investidos R$ 43 milhões na nova unidade que tem previsão de entrega no segundo semestre de 2013.

Seguindo o mesmo modelo da unidade de Mesquita, inaugurada em junho deste ano, o Hospital da Mãe de São
Gonçalo terá também uma Clínica da Mãe, onde será feito todo o acompanhamento da gestante, com o pré-natal referenciado, realização de exames (ultra e Raios-x), orientação nutricional e planejamento familiar.

– A gente quer dar garantia de linha de cuidado na atenção materna. A gestante vai visitar as instalações ao longo do pré-natal, fazer consultas com obstetras, exames de imagem e laboratório, orientação nutricional e saber que ali é a maternidade dela. O atendimento, portanto, é exclusivo às mães que farão o pré-natal na unidade – explicou o secretário de Saúde, Sérgio Côrtes.

Estado foca no atendimento à mulher

Inaugurado há pouco mais de dois anos, o Hospital da Mulher, em São João de Meriti, contabiliza mais de 5,6 mil nascimentos. A unidade é a primeira da rede estadual de saúde especializada no atendimento a gestantes de alto risco. Desde a sua inauguração, vem colocando em prática a cultura do parto  humanizado.

Entre as ações está a Casa da Mãe, local onde a puérpera fica hospedada, caso seu bebê precise permanecer  internado para cuidados na UTI ou UI.

 

Fonte : Folha da Manhã .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *