Carta do presidente em exercício foi publicada no site da Rio 2016.
‘Esperamos vocês de braços abertos’, escreveu Temer.

O presidente em exercício Michel Temer escreveu uma carta, em inglês, para estrangeiros que vêm ao Brasil para a Olimpíada. No texto, postado na página da Rio 2016 com uma foto do Cristo Redentor, ele diz que o risco de contágio de zika é quase “inexistente” e acrescenta que o Brasil espera a todos de “braços abertos”.

 

“Faltando 30 dias para o maior evento esportivo do mundo, o Brasil pode dizer com confiança: estamos prontos para acolher os primeiros Jogos Olímpicos e Paralímpicos na América do Sul”, escreveu.

Temer diz que os mais de 17 mil atletas ficarão abrigados na Vila Olímpica em “um dos cenários mais belos do Rio”. “Todas as instalações esportivas, especialmente aquelas que servem o Parque Olímpico no bairro da Barra da Tijuca, também estão prontas.”

O presidente diz que foi colocado em conjunto um programa de 85 mil funcionários públicos federais, estaduais e municipais de “segurança sólida para garantir que os eventos esportivos ocorram em uma atmosfera de paz e tranquilidade absoluta”.

“Este contingente do pessoal de segurança vai funcionar de forma integrada, supervisionando a proteção dos atletas, treinando funcionários, chefes de Estado, membros do governo, moradores e jornalistas locais.”

Leia a carta na íntegra
Faltando 30 dias para o maior evento esportivo do mundo, o Brasil pode dizer com confiança: estamos prontos para acolher os primeiros Jogos Olímpicos e Paralímpicos na América do Sul.

A Vila Olímpica, que abriga mais de 17.000 atletas participantes em um dos cenários mais belos do Rio de Janeiro, acaba de ser inaugurada. Todas as instalações esportivas, especialmente aquelas que servem o Parque Olímpico no bairro da Barra da Tijuca, também estão prontas.

O país pôs em conjunto um programa de 85 mil funcionários públicos federais, estaduais e municipais de segurança sólida para garantir que os eventos esportivos ocorram em uma atmosfera de paz e tranquilidade absoluta. Este contingente do pessoal de segurança vai funcionar de forma integrada, supervisionando a proteção dos atletas, treinando funcionários, chefes de Estado, membros do governo, moradores e jornalistas locais.

Esta não será a primeira oportunidade de o Brasil mostrar ao mundo sua capacidade de organização e receber os visitantes calorosamente em um ambiente seguro. Ao longo dos últimos anos, o nosso país tem desenvolvido uma especialização em hospedagem de mega-eventos em escala internacional.

Nós sediamos a Copa do Mundo, os Jogos Pan-americanos, os Jogos Mundiais Militares, Jornada Mundial da Juventude e a Copa das Confederações – todos com sucesso unânime, realizados em um espírito de excelência, dedicação e com o característico jeito brasileiro de viver. Agora, outro sucesso está no seu caminho.

Os Jogos vão mostrar ao mundo uma das principais economias globais no trabalho em uma democracia: um país com grande potencial de negócios que, ao mesmo tempo estabeleceu o padrão para políticas de combate à desigualdade. O Rio de Janeiro deve receber centenas de milhares de visitantes do Brasil e do exterior durante os Jogos, enquanto as cinco “Cidades do Futebol” – São Paulo, Salvador, Manaus, Brasília e Belo Horizonte – também vão se encontrar com os fãs locais e estrangeiros . A realização de eventos dessa escala representa tanto uma realização importante para o povo brasileiro, quanto uma fonte de imenso orgulho nacional.

Como benefício mais concreto, os brasileiros, ao longo das cinco regiões geográficas do país, também vão herdar uma rede nacional de formação desportiva de instalações, de classe mundial, para iniciantes e atletas de alta performance.

Finalmente, no Rio de Janeiro, os Jogos têm influenciado fortemente a implementação de políticas públicas, fazendo com que a cidade se expanda e até mesmo inicie muitos projetos de infra-estrutura e mobilidade municipais. O impacto direto e favorável dessas políticas na qualidade de vida dos moradores da cidade é evidente.

Ao longo das últimas semanas, rumores sobre a possibilidade de um surto de doença-tropical durante os Jogos tem circulado. Podemos assegurar, assim como a Organização Mundial de Saúde, que o risco de infecção zika durante os Jogos é praticamente inexistente.

Historicamente, há uma baixa incidência da doença transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti durante a temporada de inverno no hemisfério sul. De fato, tem havido um declínio nos casos de infecção zika no Rio de Janeiro e pelo Brasil nas últimas semanas.

Lembro de uma previsão semelhante de epidemia durante a Copa de 2014, quando havia 1,4 milhões de visitantes estrangeiros. Nenhuma epidemia ocorreu. Então, como agora, os turistas podem ter a certeza das condições de saúde favoráveis durante os Jogos Olímpicos.

O Brasil está pronto para receber todos os visitantes que vão desfrutar o prazer de assistir à elite dos esportes internacionais do mundo onde atletas competem, e, com certeza, teremos um grande negócio para mostrar aos 5 bilhões de espectadores de todo o mundo que estarão assistindo aos jogos também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *