Secretário de São João da Barra, no RJ, vai entregar carta sobre riscos.
Reunião será em Brasília com o presidente da Agência Nacional das Águas.

O rio Paraíba do Sul está no centro da maior disputa por recursos hídricos que se tem notícia no país (Foto: BBC)

A utilização das águas do Rio Paraíba do Sul pelo estado de São Paulo será tema de uma reunião em Brasília, nesta quarta-feira (2), que envolverá municípios de Rio e São Paulo com o diretor-presidente da Agência Nacional das Águas (ANA), Vicente Andreu Guillo. O encontro está marcado para às 14h. O município de São João da Barra, no Norte Fluminense, será representado por secretário de Planejamento, Sidney Salgado, que também é é presidente do Comitê de Bacia Hidrográfica do Baixo Paraíba do Sul.

Na ocasião será apresentada uma carta de recomendação feita por todos os Comitês da Bacia do estado do Rio de Janeiro. Na carta, o Comitê informa que a transposição do rio Paraíba do Sul configura violação das regras de operação vigente. Além disso, explica que caso a intervenção seja efetuada, os impactos sob a Bacia Hidrográfica do rio, envolvem outros municípios, além daqueles incluídos na área de abrangência dos Comitês da Bacia, diminuindo a vazão da Foz.

“O Rio Paraíba do Sul é o principal recurso hídrico do Rio de Janeiro. Ou seja, caso a intervenção seja feita, será colocada em risco a segurança hídrica do Estado. Como a Foz está em São João da Barra, o município será, de longe, o mais prejudicado. Além disso, o processo de erosão de Atafona pode aumentar”, alerta Sidney.

O documento requer, também, que a discussão seja iniciada e ampliada em todas as instâncias competentes, em especial, nos Comitês de Bacia Hidrográfica, nos Conselhos Estaduais de Recursos Hídricos dos Estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo e no Conselho Nacional de Recursos Hídricos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *