VIVEMOS EM UM MUNDO DE RÁPIDAS TRANSFORMAÇÕES – COMO SOBREVIVER ÀS MUDANÇAS É impossível aceitar o crescimento de uma empresa sem gerir uma sólida cultura corporativa [Romero Rodrigues, fundador do Buscapé Company]. Este executivo percebeu que sua organização tinha se transformado em feudos, não se falavam, não compartilhavam uma visão comum e competiam entre si. Outros índices davam sinais de que as coisas não iam bem havia perdas. Pequena porcentagem sabia qual era o verdadeiro propósito de sua atividade. A maioria afirmava que sua missão era de cumprir ações rotineiras. Ainda segundo Romero Rodrigues, precisamos praticar uma cultura corporativa para unir a estrutura e resolver os problemas. Para sobreviver em uma atividade motivada pela inovação é preciso resgatar a essência do movimento leonístico, a fim de gerir os companheiros e companheiras. Cultura é tudo o que você faz quando seu líder não está perto [George Kohlreserl, professor de liderança e comportamento organizacional do International Management Development [IMI], escola de negócios da Suíça. É o fator que gera uma das maiores crises da cultura corporativa hoje. O problema afeta a resiliência e produtividade de qualquer organização, a solução é quando a organização é formada por pessoas que compartilham uma visão e se sentem valorizadas. O professor Robson Gonçalves da Fundação Getúlio Vargas, critica as culturas muito repressivas ou puramente meritocráticas, baseia-se nos conceitos da neuro-gestão, aquela que busca extrair o que há de mais autêntico e natural nas pessoas, seria a cultura afetiva, os companheiros e companheiras dão o sangue e não veem nisso um sacrifício. Os nossos Líderes estão desafiados a não apenas impor uma cultura, mas construí-la, contando com uma liderança que tirar o melhor dos Companheiros e Companheiras. Segundo José Roberto Guimarães, técnico da seleção brasileira de vôlei feminino;”A vitória é um detalhe, a preparação é tudo.”

É muito importante não perdermos as rédeas do nosso negocio, a gestão de empresas está a cada momento nos forçando a está à frente do tempo, como se prevenir de notícias frágeis ou simplesmente   montadas, o Super Porto do Açu é uma verdadeira demonstração do quanto é necessário ter informações concretas sobre o negocio. Com certeza este dará certo um dia, mais por enquanto “anda capenga” simplesmente porque não utilizou a regra básica de grandes negócios, não é apropriado ter um único gestor majoritário que toma todas as decisões em um negocio desse porte.

Abraço Fraterno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *