Enem é exemplo da determinação de Haddad, diz Dilma

Na solenidade de comemoração da bolsa 1 milhão do ProUni, no dia (22/01), a presidente Dilma defendeu o Enem, alvo de ações da Justiça, e elogiou o trabalho do ministro da Educação, Fernando Haddad, que deixará o governo amanhã, para disputar a prefeitura de São Paulo.

A cerimônia, última de Haddad no Palácio do Planalto como ministro da Educação, foi prestigiada por 23 dos 38 ministros, pelo presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e por parlamentares, como o líder do PT na Câmara, Paulo Teixeira (SP).

Depois da cerimônia, em entrevista, a declarou que o Enem merece defesa integral do governo, mas reconheceu que serão necessárias mudanças.

– O Enem é a forma democrática de acesso ao ensino superior no Brasil. Nós somos seres humanos, quando temos erros, a gente tem de aprimorar. Nin guém está dizendo que nada é perfeito. Está dizendo que é um grande caminho – afirmou.

Segundo ela, sem o Enem, não haveria ProUni nem Ciência sem Fronteira – o programa que dá bolsas de estudos para universitários, no exterior.

– O ProUni também tem de ter suas adaptações, suas melhorias. É assim que se faz um programa de governo e é muita humildade. Melhorar aquilo que tem de melhorar. O Enem é uma grande, uma grande, talvez uma das maiores iniciativas que o governo teve nesta área – disse Dilma.

A presidente disse que, sem o Enem, seria mantido o vestibular, como forma de acesso ao ensino superior. Para ela, esse mecanismo é antiquado.

– Como é que eu faria o Ciência sem Fronteiras, sem o Enem? Como seria o aceso mais democrático das pessoas a toddas estas oportunidades que se abriram? Não teria. Mantendo aquele sistema antigo e antiquado do vestibular não tem ProUni, não tem Ciência sem Fronteiras, é elitista – afirmou.

A presidente admitiu que a realização de dois exames ao ano só em 2013.   VISITE SEMPRE: http://fabriciolirio.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *