Nova tarifa da Autopista Fluminense começa a valer no dia 2 /02/2012

A Autopista Fluminense informa que o reajuste anual da tarifa de pedágio praticada em todas as cinco praças do trecho começa a valer a partir da zero hora do dia 2 de fevereiro de 2012 (quinta-feira). De acordo com o Contrato de Concessão assinado entre a Autopista Fluminense e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), no dia 14 de fevereiro de 2008, está previsto um reajuste anual da tarifa, sempre na data de início da cobrança – 2 de fevereiro. Diante disso, a tarifa básica passa para R$ 3,10.


Abaixo, as localizações das praças de pedágio na BR-101/RJ Norte:

Km 40 – Campos dos Goytacazes (cobrança nos dois sentidos)

Km 123 – Campos dos Goytacazes (cobrança nos dois sentidos)

Km 192 – Casimiro de Abreu (cobrança nos dois sentidos)

Km 252 – Rio Bonito (cobrança nos dois sentidos)

Km 299 – São Gonçalo (cobrança unidirecional, no sentido Niterói)

Desde o início da concessão, a Autopista Fluminense investiu mais de R$ 430 milhões em melhorias, serviços e operação da rodovia, proporcionando mais segurança, conforto e fluidez ao tráfego. Atualmente há mais de 45 frentes de obras, com cerca de 750 trabalhadores (entre engenheiros e operários) envolvidos em intervenções para a melhoria das condições de trafegabilidade da rodovia entre Niterói e a divisa dos estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo, como a duplicação em andamento dos 60 quilômetros entre Campos dos Goytacazes e Macaé, a construção do viaduto de acesso a Macaé (km 169,5), a implantação de passarelas, a construção de rua lateral em Itaboraí, a recuperação de encostas, entre outras. A realização de obras de recuperação do pavimento segue os prazos previstos no cronograma do contrato de concessão, priorizando os segmentos de pavimento mais danificados.

Os serviços de atendimento aos usuários, que englobam o socorro médico e o atendimento mecânico de emergência, somaram cerca de 110 mil chamados na rodovia. Mesmo com o aumento no volume de veículos registrado ao longo dos anos, a Concessionária registrou queda de 6,5% no número de mortes entre janeiro e dezembro de 2011, na comparação com o mesmo período de 2010.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *