Partido Social Democrático (PSD) foi um partido político brasileiro, fundado em 17 de julho de 1945 e extinto pela ditadura militar, pelo Ato Institucional Número Dois (AI-2), em 27 de outubro de 1965. Foi formado sob os auspícios de Getúlio Vargas, reunindo antigos interventores do governo federal nos estado, como Benedito Valadares em Minas Gerais, Fernando de Sousa Costa de São Paulo, almirante Ernâni do Amaral Peixoto do Rio de Janeiro e Agamenon Magalhães de Pernambuco. Seu código eleitoral era o 41.

Entre 1945 e 1964, junto com o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), formava o bloco pró-getulista da política brasileira, em oposição à União Democrática Nacional (UDN), antigetulista. Durante sua existência, foi o partido majoritário na Câmara dos Deputados, tendo eleito dois presidentes da República: Eurico Gaspar Dutra, em 1945, e Juscelino Kubitschek de Oliveira, em 1955.

Após a extinção do PSD, seus membros se dividiram: uns foram para o Movimento Democrático Brasileiro (MDB), único partido de oposição à ditadura permitido após a instituição do bipartidarismo com o AI-2; outros ingressaram na Aliança Renovadora Nacional (Arena), o partido que apoiava o regime instalado em 1964.

O partido voltou na década de 1980, novamente com o número 41, mas não obteve o mesmo sucesso das décadas de 40 e 50, associando-se à bancada ruralista. Sua última eleição foi em 2002. Em 2003, o PSD foi incorporado ao Partido Trabalhista Brasileiro.

Em 2011, foi fundado o homônimo Partido Social Democrático, criado a partir de políticos dissidentes do partido Democratas, Partido Progressista, entre outros, que foram encabeçados pelo atual prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab .

JornaldaCidade.Net

Da Agência Brasil

Aracaju (13 abr) – O Partido Social Democrático (PSD) promoveu hoje (13) um ato de fundação, primeiro passo exigido pela lei para a criação do partido. Agora, é preciso coletar 500 mil assinaturas de filiados em todo o país para que o registro da legenda seja oficializado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Na cerimônia, um dos fundadores do partido, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, garantiu que o PSD não será alinhado à base do governo, nem à oposição. “Estamos à disposição para ajudar a presidenta Dilma, queremos que seu governo dê certo. Mas isso não significa alinhamento com o governo, ser base de apoio”, disse.

Kassab, no entanto, negou que, com isso, o partido tenha nascido com crise de identidade porque será formado por filiados que vieram da base governista e também da oposição. “O PSD nasce independente. O importante não é de onde eles vieram, mas que agora tenham identidade e unidade. Todos serão respeitados”, afirmou.

Já no ato de fundação do partido, 28 deputados assinaram o documento de filiação à nova legenda. “Até amanhã, deveremos passar de 30. Temos ainda cinco vice-governadores, dois senadores e outros tantos deputados estaduais e prefeitos”, contou Kassab.

A expectativa é que, no máximo, em 90 dias as assinaturas estejam coletadas e, com isso, o partido possa ser registrado no TSE. “Temos de preparar o partido antes de outubro, para os que quiserem concorrer nas eleições de 2012”, disse o vice-governador de São Paulo, Guilherme Afif Domingos, um dos principais fundadores da agremiação.

O evento foi realizado em auditório da Câmara dos Deputados e contou com o apoio de parlamentares da base governista, como o próprio presidente da Casa, Marco Maia (PT-SP). “Vamos tratar o PSD com muita atenção e carinho”, disse Maia.

  opinião :

Sera que esta galéra que pula de galho em galho  esta preoucupada com fidelidade partidária ??? eu acho que não .

A verdade é que o estatuto do DEM foi alterado sem pasar por uma convenção , é caso de policia e o prefeito de São Paulo , Gilberto kassab , estava com medo de perder o seu Mandato , o resto e so firú la .

 Um abraço fraterno .

Fabricio Lirio .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *