Manifestação contra às mudanças nas regras de distribuição reúne 150 mil pessoas.

De acordo com a Polícia Militar a passeata em defesa dos royalties do petróleo do Rio que começou por volta de 17h desta quinta-feira (10/11) reuniu cerca de 150 mil pessoas. A Passeata contra a distribuição dos royalties do petróleo ocupa a avenida Rio Branco. Carros de som, bandeiras do Estado do Rio de Janeiro, caras pintadas, crianças, fantasiados de super-heróis, cariocas e fluminenses, ocupam a avenida Rio Branco, no coração financeiro da capital, a fim de defender as receitas do petróleo destinadas ao estado e seus 92 municípios.

O Governador Sérgio Cabral agradeceu a presença dos representantes de todos os municípios do Estado do Rio no protesto. O governador lembrou que quando projeto de lei da divisão dos Royalties chegou às mãos do presidente Lula, já aprovado no Senado, o texto foi vetado “ porque ele viu o absurdo que seria com os Estados produtores”. De acordo com ele a presidente Dilma, duarnte sua campanha eleitoral, se reuniu com o atual Governador do Espírito Santo, Renato Casagrande e afirmou o compromisso de manter o que fora dito por Lula”.

Cabral garante que a batalaha não é só pela riqueza, mas pela justiça entre os Estados. O governador afirmou que o Rio de Janeiro é um dos Estados que mais contribui para o Fundo de Participação dos Municípios (FPM), apesar de ser um dos menos beneficiados.

As novas regras de partilha do petróleo podem gerar um prejuízo de R$ 48,8 bilhões aos cofres fluminenses. O presidente da Firjan (Federação das Indústrias do Rio de Janeiro), Eduardo Eugênio, declarou que a passeata “Contra a Injustiça e em Defesa do Rio” é um movimento sem ligações com partidos políticos e que reúne todos os setores da sociedade.

 O Rio de Janeiro está se movimentado para ser a capital da reflexão do Brasil. Esse movimento não tem a ver com partidos políticos, reúne artistas, jornalistas, estudantes e cidadãos. É uma manifestação contra uma intervenção da União no Rio. Nós não podemos ficar indiferentes.

Cerca de 10 mil moradores do interior do estado do Rio de Janeiro foram à capital fluminense para participar da grande manifestação nesta quinta-feira (10) em defesa das receitas do petróleo do estado e de seus municípios. A passeata foi marcada para sair da Candelária às 15h com representantes da sociedade civil, da classe política e do setor produtivo. Somente da Região dos Lagos e do Norte Fluminense foram enviados 350 ônibus, 200 dos quais de Macaé e de Campos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *