Antonio CruzCom a previsão de mais chuvas para os próximos dias, a Defesa Civil de Campos está deixando moradores de outras áreas do município em alerta, existe grande preocupação com o aumento do volume d’água no rio Paraíba do Sul. No distrito de Ururaí, hoje o rio hoje (9) alcançou a marca de 3,10m, a população ribeirinha e a comunidade da Ilha estão de sobreaviso. O mesmo vem acontecendo com os moradores da localidade de Lagoa de Cima e do Imbé. De acordo com o Chefe da Divisão de Prevenção a Desastres da Defesa Civil, tenente Rubens Gomes, as chuvas no Imbé interferem diretamente no nível da Lagoa de Cima e do Rio Ururaí.

 

De acordo com a última medição do Paraíba às 19h, o registro é 9,57m podendo subir ainda mais nas próximas horas, devido ao aumento da vazão de uma barragem da Light, em Além Paraíba, na divisa de Minas Gerais com o Rio de Janeiro.  A empresa abriu as suas comportas após ameaça de transbordo, aumentando a vazão de água de 400 para 3.100 m³ por segundo.

 

Em Lagoa de Cima, o nível das águas também subiu, mas não transbordou. Já no Imbé, região serrana de Campos, as chuvas causaram a interdição, ontem, em algumas estradas, mas hoje a situação está normalizada.

 

Na primeira quinzena de março do ano passado, a defesa Civil Estadual, em uma ação conjunta com outros órgãos retirou de helicóptero, quatorze família de turistas que devido à chuva de mais de 10 dias interruptos, ficaram presos em Mocotó, região norte do Imbé. Durante a ação foram distribuídos também sacolões para os moradores, já que não havia acesso por terra. Ontem, segundo o Secretário da defesa Civil, Henrique Oliveira, informou que equipes da Defesa Civil foram ao local para fazerem uma analise real da situação. “Por enquanto a situação está sob controle, mas já que a previsão é de muita chuva, pelo menos para os próximos dois dias, a situação pode se complicar”, falou o Secretário.

 

Lagoa de Cima –  As chuvas constantes que caíram neste final de semana em Campos interferiram no nível da Lagoa de Cima e do rio Ururaí. Algumas famílias chegaram a ser removidas das áreas ribeirinhas. De acordo com o Chefe da Divisão de Prevenção a Desastres da Defesa Civil, tenente Rubens Gomes, os agentes tem encontrado dificuldades em remover os moradores mais antigos desses locais vulneráveis em Ururaí.

 

São João da Barra – a situação é de normalidade, o volume do rio Paraíba está elevado, mas dentro do esperado. Seis pessoas estão desalojadas.

 

Fonte: Folha da Manhã

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *