Metade dos relatórios de prestação de conta das ONG’s podem esperar até 5 anos para ser verificados.

Temos acompanhado os casos das ONG’s  no Brasil. Ver: Publicado o Decreto que suspende repasse de verbas a ONG’s.

Hoje nos depamos com notícias nos jornais que a situação é ainda mais grave do parecia, pois o descontrole do Governo é ainda maior do que todos imaginavam.

Veja a reportagem:

O Ministério do Trabalho e Emprego analisa precariamente a prestação de contas de seus parceiros públicos e privados. O próprio Tribunal de Contas da União (TCU), após análise dos contratos da pasta, declarou que a “situação é crítica”, afirmando também que mais de 500 relatórios de prestação de contas apresentados por entidades que receberam dinheiro público estão nas gavetas do ministério e metade deles corre o risco de ficar sem análise por mais de cinco anos.

Em 2010, auditoria da Controladoria-Geral da União (CGU) já alertava que a falta de controle das entidades que fazem convênios é uma porta aberta para os desvios. Desde 2007, quando Carlos Lupi (PDT) assumiu o ministério, a pasta já firmou R$ 1,55 bilhão em convênios, dos quais quase um terço (R$ 448,8 mil) abasteceu instituições privadas sem fins lucrativos, as ONGs. Antes mesmo de a presidente Dilma Rousseff determinar a suspensão de todos os convênios federais com ONGs, semana passada, o TCU já recomendava, em outubro, que o Trabalho não firmasse novos contratos por 60 dias. O TCU pede que “a Casa Civil e o Ministério do Planejamento sejam informados da situação crítica vivida pelo ministério”.

Se o próprio Governo não fiscaliza o dinheiro que esta sendo investido nas ONG’s é óbvio isto facilita o desvio de verba pública por parte de aproveitadores. É como diz aquele velho ditado “que a ocasião faz o ladrão”.

VISITE SEMPRE: http://fabriciolirio.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *