Cheia de rio deixa 1.200 desalojados em Santo Antônio de Pádua, no RJ.

Rio Pirapetinga subiu por causa da chuva no fim de semana.
Moradores foram retirados de suas casas de barco.

A cheia do Rio Pirapetinga deixa 1.200 pessoas desalojadas na zona rural de Santo Antônio de Pádua/RJ. Moradores das comunidades de Ibitinela, Santa Luzia e São Pedro de Alcântara foram retirados de suas casas.

A comunidade de Santa Luzia, na divisa com Minas Gerais, é a mais atingida. O bairro de Ibitinema ficou alagado e os moradores precisaram sair de barco de suas casas. A régua mais alta que mede o Rio Pirapetinga marca seis metros. Com a cheia, ela ficou totalmente encoberta pala água do rio.

O Rio Pirapetinga subiu por causa da chuva na cidade mineira de Cataguases no fim de semana.

“Infelizmente, a expectativa é de alta, de continuar subindo o nível do Rio Pirapetinga, o que já tinha ocorrido no domingo, baixou, e tornou novamente à subir, tranzendo esse pânico à comunidade e mais problemas para a nossa comunidade”, disse Angelo Alberto Figueiredo, secretário municipal de Defesa Civil da cidade.

Uma casa na beira do rio e uma ponte que separa a comunidade do município mineiro de Pirapetinga precisaram ser interditadas.

“Está ruim, está crítico. Desde 98 é a pior enchente que deu aqui”, disse o motorista Célio Ferreira.

Já em Santo Antônio de Pádua, ruas do bairro Beira Rio ficaram alagadas. O Rio Pomba voltou a subir na terça-feira (31) e os moradores temem uma nova enchente.

“Fica todo mundo ali na esquina, a noite inteira esperando a água chegar”, disse a moradora Olinda Santos.

Em Santo Antônio de Pádua, o Rio Pomba está 30 cm acima do nível de transbordamento.

Alagamento interdita trânsito na rodovia RJ-186, nesta quarta-feira (1º).

VISITE SEMPRE: http://fabriciolirio.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *