Padilha avisa: “Quem protestar contra as Olimpíadas vai sofrer conseqüências”

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, afirmou que quem fizer qualquer tipo de manifestação contrária à Olimpíadas, evento que sendo realizado no Rio, está jogando contra o Brasil. Protestos estão sendo programados para esta sexta-feira (5) contra o presidente interino, Michel Temer na abertura dos Jogos.

Padilha esteve no Rio nesta quinta-feira (4), durante inauguração da Casa Brasil, no Rio de Janeiro.

Em coletiva à imprensa após participar da inauguração no Píer Mauá, no centro do Rio, Eliseu Padilha deixou claro que quem realizar protestos vai arcar com as consequências.

“Esse é um eventro do Brasil, de todos os brasileiros. Quem fizer qualquer tipo de manifestação contrária ao evento, está jogando contra o Brasil, contra os brasileiros e contra si mesmo. Eu penso que as pessoas vão refletir. Eu tenho dúvida que o fato acontecerá. Se acontecer, cada um se prepare para arcar, sob ponto de vista político, sob o ponto de vista da sua consciência, do seu compromisso com os brasileiros de hoje e de amanhã por esse gesto.”

Ao ser questionado se o presidente interino Michel Temer teme vaias na cerimônia de abertura dos Jogos nesta sexta-feira (5), Eliseu Padilha citou o jornalista e escritor Nelson Rodrigues para afirmar que não há receios do governo com esse tipo de manifestação, a qual chamou de democrática.

“Eu vou lembrar do Nelson Rodrigues. No Maracanã, se vaia até minuto de silêncio. Portanto, nós estamos preparados para, se for o caso, ouvir a manifestação democrática, livre e aberta dos brasileiros que lá acorrerem. Não há de parte do governo nenhuma temeridade e mais nenhuma contrariedade à livre manifestação. Nós temos que conviver com a sociedade brasileira como ela é. Se nós quisermos promover algum tipo de transformação para melhor, nós temos que conhecer naquilo que nós devemos melhorar.”

O ministro da Casa Civil ainda negou que haverá algum tipo de constrangimento por parte de Michel Temer em receber os 45 chefes de Estado, no Palácio do Itamaraty, como presidente interino.

“Absolutamente nenhum constrangimento. A Constituição da República diz que nos impedimentos do Presidente da República, assume o vice e que passa a ser o Presidente. Portanto, ele está no pleno exercício da Presidência em que pese haver a interinidade pelo afastamento da presidente titular.”

Em relação à Casa Brasil, Padilha ressaltou que o espaço foi criado para ser uma vitrine do país durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 e terá 46 dias de atividades. Para Padilha, a Casa Brasil vai dar um novo redirecionamento ao Rio como potência turística e ao Brasil no cenário internacional.

LEGISLAÇAO DURA – No ano passado, o Congresso cedeu à pressão de organismos internacionais e aprovou o projeto de lei que tipifica o crime de terrorismo no Brasil. A proposição tinha o apoio oficial do G20 (o grupo das 20 maiores economias do mundo), e, extraoficialmente, do Comitê Olímpico Internacional, que queria a ampliação de uma segurança legal para eventuais delitos ocorridos durante a realização dos Jogos Olímpicos.

Segundo organizações e grupos de direitos humanos, a lei antiterrorismo fragiliza protestos no Brasil, já que brechas para criminalizar manifestações, com penas de 12 a 30 anos de prisão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *