Contrariando as pesquisas de intenção de votos do EUA, o bilionário Donald Trump venceu as eleições com uma grande margem de segurança. Até o momento com mais de 276 delegados confirmados a favor de Donald. Contra tudo e contra “todos” ele conseguiu angariar votos de muitos eleitores indecisos, com uma proposta ultra nacionalista dispensou o entendimento de marqueteiros imprimindo na campanha seu próprio modelo, foi abandonado pelas lideranças do seu partido republicano. E mesmo assim a população que clama por mudança nos 4 cantos do mundo o elegeu. O homem mais poderoso do mundo que promoveu uma campanha de instabilidade política, social e econômica atacando diversos segmentos com atitudes homofóbicas, de segregação racial, econômica e de sexualidade é o grande vencedor. Além de construir a vitória no executivo, conseguiu ter maioria na câmara e no senado. O mundo irá viver tempos de instabilidade e insegurança, porém as instituições estão fortalecidas e vivem seu próprio rito, independente de quem é o presidente. Ou seja, nem tudo vai mudar. Hoje os analistas se perguntam o que possibilitou a vitória do Donald Trump, grande parte das promessas de campanha não terão as mínimas condições de serem implementadas, os polos industriais de baixa tecnologia, por exemplo não terão um desenvolvimento econômico do dia para noite, nem tão pouco a absurda proposta de construção da “muralha do México” que, em tese, seria para os mexicanos pagarem a conta; não tem a mínima possibilidade disso acontecer. Tem muita coisa para acontecer nos próximos 100 dias até a posse do novo presidente americano, mas de uma coisa podemos ter certeza: O cenário mundial de eleição em diversos países vem elegendo cada vez mais presidentes nacionalistas e oposicionistas. Aconteceu assim na Argentina, EUA, deve acontecer na França e em muitos outros lugares e no Brasil não é diferente, as eleições de 2018 principalmente para os cargos executivos há uma tendencia de mudança total dos poderes políticos constituídos, a população não aguenta mais as altas cargas tributárias, os abusos de poder político e econômico,as atitudes corruptas entranhadas na administração pública. Temos que mudar urgentemente o sistema político brasileiro para que possamos ter representantes que representem a vontade popular. VIVA A DEMOCRACIA!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *