Novas Regras Ortográficas da Lingua da Portuguesa

Desde o dia 01/01/2009 já estão em vigor as novas regras ortográficas da língua , porém temos até 2012 para se “habituar” com as novas regras. Até lá, as duas regras serão aceitas. Somente em 2013 que a regra antiga será abolida. Esta alteração é meramente ortográfica; portanto, restringe-se à língua escrita, não afetando nenhum aspecto da língua falada. Ele não elimina todas as diferenças ortográficas observadas nos países que têm a língua portuguesa como idioma oficial, mas é um passo em direção à pretendida unificação ortográfica desses países. Conheça as principais alterações:

Mudanças no AfabetoInclusão das letras k, w e y no nosso alfabeto.

Trema Não se usa mais o trema (¨).

Como era Como fica
Bilíngüe bilíngue
cinqüenta cinquenta
lingüiça linguiça

Mudanças nas regras de acentuação

1. Não se usa mais o acento dos ditongos abertos éi e ói das palavras paroxítonas.

Como era Como fica Atenção: essa regra é válida somente para palavras paroxítonas. Palavras oxítonas e os monossílabos tônicos.Terminados em éis e ói(s). Exemplos: papéis, herói.
bóia boia
colméia colmeia
jóia joia

2. Nas palavras paroxítonas, não se usa mais o acento no i e no u tônicos quando vierem depois de um ditongo decrescente.

Como era Como fica Atenção: se a palavra for oxítona e o i ou o u estiverem em posição final (ou seguidos de s), o acento permanece. Exemplos: tuiuiú, tuiuiús, Piauí;
baiúca baiuca
feiúra feiura

3. Não se usa mais o acento das palavras terminadas em êem e ôo(s).

Como era Como fica
abençôo abençoo
Crêem (verbo) creem
enjôo enjoo
vôos voos

4. Não se usa mais o acento que diferenciava os pares pára/para, péla(s)/pela(s), pêlo(s)/pelo(s), pólo(s)/polo(s) e pêra/pera.

Como era Como fica Permanece em  pôde/pode. Permanece em pôr/por.Pôr é verbo.Por é preposição. É facultativo
Comi pêra. Comi pera. forma/fôrma.

5. Não se usa mais o acento agudo no u tônico das formas (tu) arguis, (ele) argui, (eles) arguem, do presente do indicativo do verbo arguir. O mesmo vale para o seu composto redarguir.

Uso do hífen com compostos

1. Usa-se o hífen nas palavras compostas que não apresentam elementos de ligação.

Exemplos: guarda-chuva, arco-íris segunda-feira, mesa-redonda, boa-Fé.

2. Usa-se o hífen em compostos que têm palavras iguais, sem elementos de ligação.

Exemplos: reco-reco, blá-blá-blá, zum-zum, tico-tico.

3. Não se usa o hífen em compostos que apresentam elementos de ligação.

Exemplos: pé de moleque, pé de vento, pai de todos, dia a dia, fim de semana.

4. Usa-se o hífen nos compostos entre cujos elementos há o emprego do apóstrofo.

Exemplos: gota-d’água, pé-d’água

5. Usa-se o hífen nas palavras compostas derivadas de topônimos.

Exemplos: belo-horizontino, sul-africano

6. Usa-se o hífen nos compostos que designam espécies animais e botânicas (nomes de plantas, flores, frutos, raízes, sementes), tenham ou não elementos de ligação.

Exemplos: bem-te-vi, peixe-do-paraíso, mico-leão-dourado, erva-doce.

Uso do hífen com prefixos

As observações a seguir referem-se ao uso do hífen em palavras formadas por prefixos (anti, super, ultra, sub etc.) ou  por elementos que podem funcionar como prefixos (aero, agro, auto, eletro, geo, hidro, macro, micro, mini, multi, neo etc.).

Casos Gerais

1. Usa-se o hífen diante de palavra iniciada por h.

Exemplos: anti-higiênico anti-histórico, macro-história

2. Usa-se o hífen se o prefixo terminar com a mesma letra com que se inicia a outra palavra.

Exemplos: micro-ondas, anti-inflacionário, sub-bibliotecário, inter-regional

3. Não se usa o hífen se o prefixo terminar com letra diferente daquela com que se inicia a outra palavra. Exemplos: autoescola, antiaéreo, intermunicipal, supersônico, superinteressante.

Observação * Se o prefixo terminar por vogal e a outra palavra começar por r ou s, dobram-se essas letras. Exemplos: minissaia, antirracismo, ultrassom, semirreta.

Casos Particulares

1. Com os prefixos sub e sob, usa-se o hífen também diante de palavra iniciada por r.

Exemplos: sub-região, sub-reitor, sub-regional

2. Com os prefixos circum e pan, usa-se o hífen diante de palavra iniciada por m, n e vogal.

Exemplos: circum-murado, circum-navegação, pan-americano

3. Usa-se o hífen com os prefixos ex, sem, além, aquém, recém, pós, pré, pró, vice.

Exemplos: além-mar, além-túmulo, ex-aluno, pós-graduação, pró-europeu

4. O prefixo co junta-se com o segundo elemento, mesmo quando este se inicia por o ou h. Neste último caso, corta-se o h. Se a palavra seguinte começar com r ou s, dobram-se essas letras.

Exemplos: coobrigação, coedição, coeducar, corresponsável, cosseno

5. Com os prefixos pre e re, não se usa o hífen, mesmo diante de palavras começadas por e.

Exemplos: preexistente, preelaborar, reedição

5. Na formação de palavras com ab, ob e ad, usa-se o hífen diante de palavra começada por b, d ou r. Exemplos: ad-digital, ob-rogar, ab-rogar.

Fonte: http://www.livrariamelhoramentos.com.br/Guia_Reforma_Ortografica_Melhoramentos.pdf

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *