OPOSIÇÃO as vias de ganhar  reforço.

A cassação da prefeita Rosinha Garotinho (PR), gerou um clima de instabilidade na política de Campos. Apesar de já reassumiu o governo após obter uma liminar de 30 dias, as incertezas continuam.

A declaração feita pelo presidente da Câmara de Campos, Nelson Nahim (PR) “Meu irmão (Garotinho) está desequilibrado, precisa de tratamento. Não tenho mais clima para permanecer no PR”, pode gerar mudanças no quadro político de Campos. Nahim pode até dia 5 (quarta-feira) escolher um novo partido e receber o apoio da oposição, além de reforçar a oposição, Nahim pode levar com ele outros nomes que hoje estão ao lado do governo.

Na última quinta-feira, segundo Nahim, o deputado federal Anthony Garotinho (PR), pressionou os vereadores da bancada governista. Eles teriam sido obrigados a assinar um documento que tentaria barrar a posse de Nahim. Dos 12 vereadores governistas, oito assinaram o documento. Os vereadores Abdu Neme (PSB), Dante Lucas (PDT), e Altamir Bárbara (PSB), que são bem entrosados com Nahim, não assinaram o documento. Jorginho Pé no Chão (PT do B), amigo do vereador Marcos Bacellar, também não assinou. Com isso, Nahim recebeu o apoio de quatro vereadores da situação e quatro da oposição, que também defenderam a posse. Ao todo, contando com ele, o grupo de Nahim tinha nove vereadores (Nahim, Bacellar, Ilsan, Rogério Matoso, Odisséia, Ab-du, Jorginho Pé no Chão, Dante e Altamir) contra oito aliados de Garotinho (Kellinho, Albertinho, Papinha, Gil Vianna, Vieira Reis, Magal, Jorge Rangel e Dona Penha).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *