Na sexta-feira (24), o 5º distrito do Açu vai receber a vista dos agentes.
Agentes percorrerão todos os bairros, com o objetivo de localizar focos.

 

2749_210114122138_dengue

Nesta sexta-feira (24), o Núcleo de Controle de Zoonoses, da secretaria Municipal de Saúde de São João da Barra, no Norte do Estado, intensifica o combate ao mosquito Aedes aegypti, com a realização de mais uma etapa do Mutirão Contra a Dengue.

As equipes percorrerão o 5º distrito do Açu,e mais de 100 agentes serão deslocados para a operação, prevista para às 15h, vistoriando todas as ruas, residências e áreas de possível existência dos focos do mosquito. O trabalho terá prosseguimento no dia 7 de fevereiro, em Atafona e no dia 21, será em Grussaí.

Este ano, o município ainda não registrou nenhum caso da doença. O primeiro Levantamento Rápido do Índice de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) do ano, acaba de ser divulgado pelo Núcleo de Controle e Zoonoses. O índice apresentado é de 1,3% e é considerado de médio risco. Segundo o coordenador do Núcleo, Cláudio Márcio Martins, o índice era esperado devido a chuva de dezembro e também ao período epidêmico, mas ressaltou que o risco de epidemia está descartado.

2749_210114122139_dengue2

“Estamos no período epidêmico que começou em dezembro e vai até março, mas isso não quer dizer que teremos epidemia. O volume intenso de chuva foi um fator que contribuiu para elevar o índice, que é igual ao mesmo período do ano passado. Não podemos fazer a comparação de um período de inverno com o de verão. Já esperávamos por este resultado”, afirmou Cláudio.

O gerente técnico do Núcleo de Controle de Zoonoses, Marcos Machado, disse que a população precisa se conscientizar e evitar que o foco do Aedes aegypti se prolifere. “Os mutirões são realizados nesta época do ano porque a maioria das casas de veraneio está aberta, facilitando o acesso do agente. Mas, além disso, é preciso que os moradores também se conscientizem. Um descuido de um vaso de planta com água já é o suficiente para o mosquito proliferar. Vale lembrar que a população também pode ajudar no controle da dengue denunciando focos pelo telefone: (22) 2741-8449”, salientou.

De acordo com o Núcleo, os profissionais estão divididos em oito equipes cada uma com um supervisor. Ao visitarem as casas os grupos estão realizando o trabalho de colocação de telas em caixas d’água, veneno em ralos, remoção de pneus, inspeção de plantas, vasos e todo e qualquer material que acumula água, além de colher material para análise e orientar os moradores com as dicas de como evitar o foco do Aedes aegypti. A secretaria de Saúde orienta que no caso de dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dores musculares, dores nas juntas, prostração e vermelhidão no corpo, a pessoa deverá buscar atendimento nos Postos de Urgência do município.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *