População reclama da falta de médicos na UBS, rede de esgoto e policiamento

 

Problemas não faltam nop parque Santa Rosa, em Guarus. Segundo moradores algumas carências são antigas, outras novas e ninguém faz nada para resolvê-las. A população diz sofrer com a falta de ginecologista no posto de saúde, rede de esgoto e policiamento. Além disso, a praça está abandonada, as ruas esburacadas, os terrenos e as vias públicas com lixo e o transporte é precário.

A falta de médicos no posto é um problema frequente, segundo a dona de casa, Marta Ribeiro, 58 anos. “Só há enfermeiros para atender”, disse ela, que falou sobre a falta de rede de esgoto. “Quando chove, as fossas transbordam e alaga ruas e casas”.

Outro problema é o transporte precário. Segundo os moradores, depois do Morar Feliz, a população do bairro aumentou, mais a quantidade de ônibus não. Já a técnica de enfermagem, Eliane Soza, 50 anos reclamou da falta de limpeza dos terrenos baldios.

A assessoria da Águas do Paraíba disse que uma equipe está sendo mobilizada para o local a fim de verificar o que de fato pode estar ocorrendo. O que for de responsabilidade da empresa será resolvido. Quanto á rede de coleta de esgoto, os investimentos em expansão continuam. Já a secretaria de saúde informou que não há nenhum problema de falta de ginecologista na UBS. O atendimento de ginecologista é feito toda terça-feira à tarde.

O presidente da Empresa Municipal de Transporte, Paulo Mossó, disse que vai mandar uma equipe ao local para verificar os horários que estão sendo praticados pelas empresas de ônibus. Já o diretor da fiscalização de Posturas, major Francisco Balbi, informou que os fiscais do órgão estão notificando os donos dos terrenos para que limpem e fechem os imóveis.

 

Falta de ronda da PM gera  insegurança

 

O policiamento precário tem causado preocupação nos moradores, principalmente para aqueles que precisam sair à noite. “Temos medo. Só vemos carros de polícia aqui quando acontece alguma coisa. Estamos dentro de nossas casas e ouvimos tiros. Precisamos que isso seja revisto o mais rápido possível. Estamos correndo risco”, disse a doméstica Carmem de Andrade, 69 anos.

O comandante do 8º Batalhão de Polícia Militar (8º BPM), tenente-coronel Lúcio Baracho, disse que está em fase de elaboração um novo planejamento operacional que vai atender vários bairros do município, onde antes não existia o serviço.

– Esse novo planejamento operacional vai começar em março. Enquanto isso, as pessoas que precisarem do serviço da polícia deverão ligar para o número (22) 2733-1177 e denunciar. Elas também podem, participar do café comunitário, que é realizado toda primeira quarta-feira do mês, onde as demandas dos bairros são ouvidas por órgãos competentes – disse ele, pedindo à população que não deixe de fazer também o registro de ocorrência.

 

Fonte: Folha da Manhã

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *