Bianca Alonso

 

 

 

Bianca Alonso

 

Os moradores das proximidades da Usina São João, em Guarus, fizeram uma manifestação no início da tarde desta terça-feira, na Avenida Francisco Lamego. O ato de protesto foi em reivindicação aos horários irregulares dos ônibus que fazem linha para o centro da cidade. No dia 07 deste mês, a equipe de reportagem da Folha da Manhã esteve no local ouvindo os moradores sobre o mesmo problema. Após a visita, a empresa Geratur foi incluída da rota para melhorar o transporte, porém, de acordo com relato dos moradores, o problema persiste.
Os moradores colocaram fogo em pneus e fecharam a rua com o objetivo de chamar a atenção das autoridades para a situação. A Polícia Militar esteve no local para supervisionar o ato. Após o encerramento da manifestação, a equipe do Corpo de Bombeiros, esteve no local pata apagar o fogo na pista e retirar os objetos que mantinham a rua interditava. As empresas que atendem a localidade são Geratur e São João.
— Os ônibus para o centro da cidade passam no intervalo de aproximadamente duas horas. Não temos condições de continuar assim, não podemos ir andando até o centro. Aqui, existem pessoas que trabalham e crianças que estudam e necessitam do ônibus. Eu tenho problema de nervos e não posso, neste sol, ir andando até o centro — relatou a aposentada Maria José Porto, de 64 anos.
O Presidente da Empresa Municipal de Transporte, Paulo Mósso, informou que desconhece o problema na localidade. “Acho estranho esse intervalo de 2 horas dos ônibus para o centro. Amanhã (hoje) vou mandar fiscais para checar este problema e se ele for constatado, as providências serão tomadas”, disse.
De acordo com a Gerente da empresa Geratur, Maria Teresa Mello e Batista, a firma está dando apoio na linha Usina Santo Antônio/Centro a pedido da Emut, mas esta linha não pertence à empresa. “A nossa atuação no local é apenas um apoio que a Emut solicitou, mas não temos compromisso com a linha. Foi pedido para que déssemos um suporte de passar três ou quatro vezes pelo local. Lamento pelos usuários, se pudéssemos fazer mais, faríamos.”, informou.
A empresa São João informou que após a desativação da usina São João, a comunidade local foi reduzida consideravelmente e, consequentemente, a demanda pelo transporte coletivo fato comprovado por viagens feitas diariamente pelos ônibus com pequeno número de passageiros nesse trajeto – ou até mesmo com o veículo vazio – o que levou a uma reformulação dos horários dos coletivos na linha. A empresa ainda informou que já se colocou à disposição da comunidade para discutir a frequência do serviço, na tentativa de equacionar o problema, mas até o momento não teve retorno de qualquer representante do bairro.
A equipe de reportagem da Folha da Manhã tentou contato com o Presidente do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Campos (Setranspas), Antônio Carlos Tatagina mas não obteve sucesso.

 

No dia 07 de Fevereiro a Reportagem da Folha da Manhã fez matéria de bairro na Vila Santana, comunidade situada após a antiga Usina São João, no distrito de Guarus. Na ocasião, os moradores informaram que a cada dia estava mais difícil pegar o ônibus na localidade. A moradora Luciana Azeredo Lírio, 25 anos, disse no início do mês que a cerca de três meses, passava ônibus em um intervalo de uma hora, finalizando os trabalhos às 22h30. “Antes já era ruim, agora, que só vemos os ônibus de duas em duas horas, a situação está ainda pior”.
Para solucionar o problema, a Empresa Municipal de Transportes (Emut), após receber diversas denúncias dos moradores, disponibilizou um veículo da empresa Geratur para cobrir os horários. Porém, segundo informou os moradores, esta linha não entra no Parque Prazeres, onde diversas pessoas que residem na Vila Santana trabalham. Portanto, para ir, ou voltar do serviço, as pessoas têm que esperar mais de 2h, o que estaria causando transtornos aos moradores.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *