Prefeito determinou fechamento de nove escolas rurais.
A decisão foi motivada por corte de funcionários.

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), divulgou neste domingo (23),  que  conseguiu reverter, após reuniões, visitas às unidades escolares e recomendações expedidas, a decisão do prefeito de São Fidélis, no Norte Fluminense, que determinava o fechamento de nove escolas rurais. Na época, a assessoria do município informou que houve corte no quadro de funcionários e que a maioria dos demitidos pertenciam à área de educação.

De acordo com o MPRJ, o fechamento havia sido determinado pelo prefeito e representaria o fim do ensino público em localidades rurais afastadas da cidade, prejudicando mais de 140 filhos de agricultores e pessoas que trabalham e moram no campo, com risco de evasão escolar e consequente aumento da taxa de analfabetismo, segundo o Promotor de Justiça responsável.

Pais e responsáveis pelos alunos organizaram manifestações pela cidade o que motivou a atuação do Ministério Público. A Promotoria visitou as escolas rurais e localidades atingidas, ouvindo interessados, registrando os depoimentos, fotografando e filmando o trabalho realizado, averiguando impacto sociocultural do fechamento das escolas e a realidade de uma centena de famílias atingidas pela decisão.

Ainda segundo o MPRJ, o Promotor de Justiça Fabiano Rangel citou que “as dificuldades de acesso represente uma das causas do abandono da vida no campo e do alto índice de analfabetismo na população rural brasileira”, e que a medida “iria de encontro às disposições de vários órgãos nacionais da área educacional, comprometendo a educação às populações das zonas rurais de todo o Brasil”.

A equipe de reportagem, tentou contato com o prefeito Luiz Carlos Fernandes Fratani, mais conhecido como Luiz Fenemê, mas até a conclusão desta reportagem as ligações não foram atendidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *