Dora Paula Paes
Foto: Rodrigo Silveira

O Dia dos Namorados já bate à porta e deve prevalecer a troca de lembrancinhas entre os apaixonados. Em Campos, a Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) acredita que as vendas não tem mais para onde recuar. A expectativa, no município, é manter os percentuais do ano passado, que vem de um cenário de queda de 30% a 40% em relação a 2014. “Não temos para onde recuar mais. As vendas deverão seguir o mesmo comportamento do Dia das Mães”, diz o presidente da CDL, Norival Manhães.

A previsão nacional do comércio brasileiro para a data comemorativa é de vendas fracas. A Pesquisa Nacional sobre a Intenção de Compra da Fecomércio RJ/Ipsos estima que 29% da população — 45 milhões de pessoas — pretendem presentear alguém na data este ano. No ano passado, os consumidores em potencial representavam 34% da população. Já a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) prevê um recuo de 8,5% nas vendas varejistas no período.

— Nós projetamos uma queda de 8,5% em relação a 2015, que já havia registrado recuo de 1,1% ante o ano anterior. Vimos picos em 2008, 2010 e 2011, mas de 2012 em diante observamos que o varejo perdeu força, e não só no Dia dos Namorados. A lembrancinha vai continuar em moda por causa da crise — explica Fabio Bentes, economista da CNC.

Até mesmo o carro-chefe do varejo, o vestuário, que responde por R$ 77 de cada R$ 100 gastos, deve ir mal este ano. A projeção da CNC é de queda de 8,7% para o segmento — retração superior à média porque ainda está em ação tudo o que empurra o varejo para o pior ano da série histórica do IBGE, iniciada há 15 anos, ressalta Bentes. Mesmo assim, de acordo com a pesquisa Fecomércio/Ipsos, as roupas devem representar 30% dos presentes neste 12 de junho.

Por outro lado, a pesquisa Fecomércio/Ipsos é bem mais otimista e projeta que o valor gasto no varejo por causa da data chegue a R$ 6,3 bilhões, apesar da diminuição da intenção de compra. O levantamento também constatou um aumento no valor médio que o brasileiro planeja gastar entre presentes e comemorações: subiu de R$ 121,13, em 2015, para R$ 142,43, este ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *