Destino certo ao lixo eletrônico

Durante duas semanas, alunos dos ensinos Fundamental e Médio do Colégio Anglo-Santos Dumont percorreram estabelecimentos comerciais de Campos recolhendo material eletrônico inutilizado. O trabalho foi uma das atividades da gincana da Festa Junina, inserida no projeto “Nas asas da tecnologia e da solidariedade”, que já existe há 10 anos na instituição. No período entre 26 de junho e 11 de julho, os estudantes recolheram cerca 10 mil peças, entre baterias de celular, carregadores, telefones, televisões, HDs, placas de computadores, entre outros.
De acordo com a coordenadora pedagógica do Ensino Fundamental II e Ensino Médio, Suely Melila, esta foi a primeira vez que a instituição realizou a coleta seletiva de lixo eletrônico e o grupo foi surpreendido pela quantidade de material eletrônico que as pessoas acumulam.
— Nós não esperávamos essa quantidade recolhida pelos nossos alunos. Tivemos que recusar eletrodomésticos maio-res, como geladeiras e fogões — disse a coordenadora, que passou a ser chamada pelos estudantes de “a rainha da sucata”.
Estudantes ressaltaram que em apenas um dia conseguiram arrecadar mil peças. As alunas do 9º anos Bianca Rangel e Layla Deccache, ambas com 14 anos, relataram que percorreram diversos estabelecimentos comerciais da Pelinca e também camelôs. Nesses locais, a percepção foi a mesma: as pessoas não sabem o que fazer com o lixo eletrônico.
— Passamos em um camelô e ele nos falou que já havia jogado o lixo eletrônico no lixo comum. Muitas pessoas não sabem como descartar esse tipo de material — disse Layla, enquanto Bianca, que é filha de um técnico de telefonia, ressaltou que o pai e conhecidos tinham muitos telefones já sem uso em casa.
Suely Melila acrescentou a importância da coleta adequada deste tipo de material, mencionado questões relacionadas à saúde e também ao meio ambiente.
— Alguns elementos químicos, como o chumbo, que fazem parte de algumas peças eletrônicas, se descartadas de forma errada podem contaminar o lençol freático. Além disso, catadores podem ficar expostos a substâncias cancerígenas — ponderou.
Para realizar o descarte, Suely Melila pretende acionar a secretaria municipal de Serviços Públicos e empresas privadas que atuam para o encaminhamento do material ao Rio de Janeiro.
Próxima campanha — Em outubro, o Colégio Anglo-Santos Dumont completa 15 anos. Para comemorar a data, a coordenadora pedagógica espera realizar outra campanha para o recolhimento de material eletrônico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *