Campos 24 Horas

PF cumpre mandados nesta quarta, um deles para a prefeita afastada, Lídia Mercedes. O prefeito em exercício denuncia um suposto esquema que teria envolvimento de empresários

PF Conceição de Macabu 1PF Conceição de Macabu 3Cláudio Linhares 2A Polícia Federal realiza na manhã desta quarta-feira (11/12) em Conceição de Macabu, uma operação denominada Ave de Fogo, onde investiga empresas fantasmas e desvio de dinheiro público, praticado por servidores da prefeitura.

A PF investiga três empresas fantasmas e recolheu documentos das secretarias de Educação, Obras e Assistência Social. Ao todo são dois mandados de prisão e dez de busca a apreensão. A prefeita, Lídia Mercedes,a Tedi (PT), foi afastada recentemente do cargo p[elo Tribunal Regional Eleitoral.

Ao todo, foram expedidos 15 mandados de busca e apreensão, dois de prisão e 10 de condução coercitiva – quando investigados são encaminhados para a sede da PF para prestar depoimentos, mas não podem ser presos por falta de prova direta que comprova o crime.

PF Conceição de Macabu 2Segundo  a Polícia Federal o esquema conta “com a efetiva participação da Lídia Mercedes Oliveira Soares, a Tedi, ex-prefeita de Conceição Macabu, seu secretariado, sobretudo dos secretários municipais de Serviços Públicos, Educação, Promoção e Permanente de Licitação”, aponta. 

As investigações apontam que duas empresas piratas foram criadas por um ex-secretário. Ele colocou as empresas, segundo a Polícia Federal, em nomes de laranjas, que seriam parentes, para vencer as licitações fraudulentas. O ex-secretário teve  prisão temporária decretada e já fooi preso

Todos documentos apreendidos  serão usados em novas investigações, segundo o delegado. “Os documentos arrecadados durante a operação serão periciados e darão embasamento em novas investigações que serão aprofundadas”, explicou Julio Ribeiro.

PF Conceição de Macabu 4Na Prefeitura, foram apreendidos disquetes, cds, documentos e processos de licitação montado para contratar empresas. O atual prefeito, Claudio Linhares, que assumiu o cargo depois de uma determinação do Tribunal Superior Eleitoral, disse que vai pedir intervenção do Tribunal de Contas do Estado na próxima semana.

“Estamos ilhados nessa cidade. Estou buscando documentos a muito tempo e não consigo, porque ninguém sabia onde esses documentos estavam. Foram desviados R$ 4 milhões apenas na Educação. Vamos pedir auxílio ao Tribunal de Contas do Estado para instalar uma força tarefa na cidade para avaliar as contas da Prefeitura”, afirmou Claudio Linhares.

Cláudio Linhares diz também que os desvios na Secretaria de Educação são os menores. “Nosso problema maior não é a Educação. Aqui na cidade tem empresários donos de cinco empresas que concorrem às licitações entre elas para vencê-las”, denuncia o prefeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *