A presidente do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Marilene Ramos, participou na manhã desta sexta-feira na Câmara de audiência pública para prestação de contas sobre as obras de drenagem dos canais da Baixada Campista. O Investimento, que conta com recursos do PAC, é de R$ 97 milhões. Vereadores, representantes de produtores, pescadores e membros de entidades como Acic, CDL, Firjan OAB, UFF, Uenf, Fenorte, participaram do debate.

Marilene Ramos listou 150 quilômetros de canais drenadores dragados do sistema São Bento, Coqueiro e Quintinguta, remoção de 2.900.000 m² de vegetação e de 2.642.000 m³ de material assoreado – 1.012.000m³ do Canal São Bento, 900.000 m³ do Coqueiro, e 730.000 m³ no Quitinguta – além da reconstrução dos taludes marginais dos três canais.

Segundo Marilene, o principal objetivo das intervenções foi aumentar a capacidade de descarga do sistema de drenagem e o grau de escoamento dos canais, sobretudo, em época de fortes chuvas. Com o desassoreamento do sistema São Bento, os riscos de prejuízos à população e à produção agrícola com as cheias estão minimizados, uma vez que o escoamento das águas aumentou em 150%, segundo pesquisa do projeto básico contratado pelo Estado a Fundação Coppetec. “É lógico que existem questionamentos, mas fizemos o possível”, explicou, lembrando que novos recursos já foram solicitados ao Ministério de Integração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *