Cerca de 60 pessoas passaram mal após mergulho na Praia da Tartaruga.
Prefeitura suspeita de que seja produto químico de banheiros de navios.

Equipes do Inea (Instituto Estadual do Ambiente) e da Secretaria de Meio Ambiente estão investigando a origem de uma mancha que apareceu na Praia da Tartaruga em Armação dos Búzios, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro. O local foi interditado na manhã desta sexta-feira (21) depois que cerca de 60 banhistas deram entrada no hospital da cidade com sintomas de intoxicação após contato com a água do mar.

mancha_amarela
Técnicos coletaram amostras da mancha amarela

 

Segundo Túlio Wagner, superintendente regional do Inea, amostras da água da Praia da Tartaruga foram recolhidas na manhã desta sexta-feira para investigar o que seria a mancha de cerca de 70m de largura e 250m de extensão.

”Vamos ficar monitorando a mancha até que ela desapareça. A previsão é que o resultado dos laudos das amostras recolhidas fiquem prontos na próxima segunda-feira (24). Estamos investigando de onde saiu esse possível produto químico para poder tomar as medidas necessárias”, disse o superintendente.

 

Suspeita é que seja produto químico de transatlântico
O secretáiro de Meio Ambiente da cidade, Carlos Muniz, disse que a suspeita é que a mancha seja de um produto químico chamado organoclorado. ”Pelas características da mancha e consequências que ela causou, estamos suspeitando que seja um produto químico utilizado em banheiros químicos. Esse produto deve ser de algum navio que passou ou está na nossa cidade”, relatou o secretário.

Segundo a assessoria de Armação dos Búzios, três transatlânticos ainda estão no balneário. Cerca de 400 turistas canadenses, americanos e alemães estão chegando à cidade nesta sexta-feira. Todos serão orientados sobre o problema na Praia da Tartaruga e acompanhados por guias em visitação à cidade.

Mais de 60 pessoas passaram mal
Desde a última segunda-feira (20), turistas e moradores que tomaram banho na Praia da Tartaruga ou frequentaram o local sentiram irritação nas vias respiratórias, nos olhos e ficaram com enjoo.

Rivaldo Ramos Martins, turista do Rio Grande do Sul, foi uma das primeiras pessoas que procurou o hospital da cidade relatando sentir forte dor nos olhos. Ele está de férias no balneário com a família há dez dias e procurou a unidade de saúde depois que mergulhou na praia. A assessoria da prefeitura de Búzios divulgou na tarde desta sexta-feira (21) que a maioria dos pacientes já foram liberados, mas não soube informar o número de pessoas que continuam em observação na unidade.

mancha_interdicao_guarda

Internauta registrou mancha

Mancha foi registrada por internauta na Praia da Ferradurinha
Mancha foi registrada por internauta na Praia da
Ferradurinha

Moradores de Búzios perceberam uma mancha alaranjada em várias praias do balneário no último domingo (23). Na Praia da Ferradurinha, a internauta e moradora da cidade Patrícia Pardo registrou a mancha logo pela manhã de domingo, quando fazia sua caminhada e enviou fotos. Ela mergulhou na praia da Ferradurinha e teve problemas de ardência nos olhos durante toda a semana, mas ainda não foi ao hospital.

Na Praia da Ferradura, o comerciante Marcelo Luis Freitas, 43 anos, de Petrópolis, que estava hospedado em casa de amigos, também viu a mancha e impediu que seus filhos entrassem na água. “Achei muito estranha a cor da mancha. Choveu na região na segunda-feira e o mar não estava muito bom mesmo, mas aquela cor me chamou a atenção. Ninguém da minha família entrou na água”, comentou.

O fato de a mancha alaranjada ter aparecido em algumas praias do balneário, e não somente na Praia da Tartaruga, reforça a possibilidade de o material ter sido despejado no mar por um navio. Neste período, Armação dos Búzios faz parte da rota da maioria dos navios estrangeiros que chegam ao país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *