Após deixar de cumprir as sessões dos últimos dias 4 e 5 — as duas primeiras após as eleições municipais — por falta de quórum, a Câmara de Campos esteve movimentada nesta terça-feira (11). A primeira sessão da semana contou com 20 vereadores e grande presença do público, que assistiu e se manifestou durante a votação de moção de aplausos ao vereador e prefeito eleito Rafael Diniz (PPS). O requerimento, feito pelo colega de José Carlos (PSDC), contou com apoio de oposicionistas, situacionistas e independentes, e trouxe à plenária um discurso de união e colaboração a partir do dia 1º de janeiro, embora, até lá, 40% dos assentos da Casa de Leis terão novos donos.

 

“É mais do que merecida esta moção de aplauso. Novos horizontes estão por vir. E será um horizonte muito diferenciado. Você, Rafael, é um rapaz que mostrou a que veio em seu primeiro mandato como vereador. Tenho certeza que fará o mesmo como prefeito”, afirmou José Carlos .

 

Já Nildo Cardoso (DEM) — que, embora faça parte da bancada de oposição ao governo municipal, como Rafael, lançou candidatura própria a prefeito — aproveitou sua fala na tribuna para felicitar o colega.

 

“Já nos falamos por telefone, mas, como ainda não havíamos tido a oportunidade de conversar pessoalmente, te parabenizo pela vitória. Desejo que tenha a sabedoria para escolher a sua equipe e guiar a cidade. Que você seja Iluminado por Deus”, disse.
Derrotado nas eleições municipais, o independente Tadeu Tô Contigo (PRB) fez referência à situação dos colegas investigados pela Justiça e pela Polícia Federal por compra de votos e que podem ter seus diplomas ou mandatos cassados, antes de manifestar apoio ao requerimento e a Rafael Diniz.

 

“O pessoal diz que a eleição acabou. A majoritária sim. Mas, a proporcional, não. Tem muito água para rolar por debaixo dessa ponte ainda. É uma pena que esta sessão só esteja acontecendo agora, quando os ânimos pela vitória de Rafael já tenham esfriado um pouco. Mas desejo ao prefeito eleito os parabéns. Deus vai te iluminar e o povo de Campos está ao seu lado”, disse, finalizando sua fala com o bordão que lhe rendeu o apelido: “Tô contigo!”

 

O vereador Genásio (PSC) lembrou sua caminhada junto ao candidato a prefeito derrotado Caio Vianna durante as eleições. “Estive com Caio durante toda a nossa campanha, mas desejo que você tenha sucesso em sua trajetória. Deus vai iluminá-lo. O povo de Campos clama por mudança”.

 

Gil Vianna (PSB), que concorreu ao cargo de vice-prefeito na chapa de Caio Vianna, afirmou que “o que importa é a oposição ganhar”. “Essas eleições nos ensinaram muito. Mas o resultado é mérito seu (Rafael). Estamos ao seu lado, irmão”, declarou o vereador se posicionando pela assinatura do requerimento.

 

Paulo Hirano (PR), por sua vez, parabenizou Diniz em nome da bancada governista, grupo que lidera.

 

“Em nome da bancada do governo na casa, quero parabenizar nosso prefeito eleito. Desejamos que ele faça uma gestão na qual possamos colocar o campista em primeiro lugar”, disse, completando: “Estamos reconhecendo o mérito da vitória, mas não podemos deixar de lembrar que o prefeito eleito receberá uma cidade privilegiada no cenário do estado”. Neste momento, o vereador foi interrompido por vaias e manifestações dos presentes, que demonstraram insatisfação com o atual governo municipal.

 

Falando por último, Diniz agradeceu a José Carlos pelo requerimento, aos colegas vereadores, aos eleitores, pela votação, aos funcionários da Câmara que cuidam da limpeza e da segurança, aos assessores, à família, a Deus e aos membros da oposição na Casa: Nildo, Fred Machado (PPS) e Marcão (Rede).

 

“Meus sentimentos são de felicidade, gratidão e responsabilidade. Unidos, vamos reconstruir essa cidade. Promover o diálogo entre as forças políticas e a integração entre todas as regiões, pois somos todos campistas. O governo poderá ter um nome e um rosto, mas será de todos vocês”, finalizou o prefeito eleito.

 

Protesto — Após a votação do requerimento de José Carlos, o vereador Neném (PTB) usou a tribuna para se defender por ataques feitos pelo secretário de Governo de Campos, Anthony Garotinho, em seu programa na Rádio Diário FM. Munido de matérias a respeito da investigação do Ministério Público (MP) e da Polícia Federal (PF) sobre o suposto uso do programa social Cheque Cidadão para compra de votos, o vereador leu as manchetes para defender sua assinatura do abaixo assinado que pede uma “Câmara Limpa” em Campos e que motivou as criticas feitas ao líder do grupo do qual o próprio Neném fazia parte.

 

“No dia do meu aniversário, esse homem foi à rádio não para me dar os parabéns, mas para me criticar por eu ter assinado a petição. Eu sou dono do meu nariz. Assino o que quiser. Ninguém aguenta mais essa perseguição e essa maneira de fazer política. E que fique claro: quem está dizendo tudo isso não sou eu. É a Justiça. Promotores e delgados federais”, disparou.

 

O movimento Câmara Limpa terá manifestações nesta terça-feira, a partir das 16h, na Praça São Salvador e em frente à sede do Tribunal Regional Eleitoral de Campos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *