Faetec aderiu o movimento de greve

.Faetec engrossa movimento de greve nas redes de educação

Além da greve nas escolas da rede estadual, federal e municipal, exigindo um reajuste salarial desde o início da semana e hoje foi a vez dos professores da Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec), em Campos, aderir o movimento. Segundo o coordenador do Sindicato dos Professores da rede Faetec no interior do estado, Gustavo Sofiatti, os profissionais da educação sofreram perdas salariais de 55% desde 2002 e através dessa greve, eles esperam conseguir um aumento de 26% no salário atual. O governo do estado, no entanto, ofereceu apenas 3,5%, o menor índice de reajuste da categoria. Acontecerá na próxima terça-feira, às 14h, um manifesto nas escadarias da Alerj para pressionar o estado e acompanhar a votação das emendas propostas pelos deputados.
De acordo com Gustavo, aconteceu ontem uma reunião com os funcionários da escola técnica João Barcelos Martins para discutir sobre o reajuste e a adesão dos professores na greve. Na ocasião ficou acertado que a maioria iria aderir à reivindicação e que os profissionais trabalhariam apenas meia carga horária batendo o ponto normalmente até a data da assembléia no Rio de Janeiro. A mesma reunião acontecerá no colégio agrícola e no Instituto Superior Aldo Muylaert na próxima segunda-feira (8), discutindo as questões.
— O governador Sérgio conseguiu deliberar a liminar que o Sindicado dos Professores da Rede Estadual (Sepe) conseguiram na justiça para fazer a greve sem haver perda de salário, portanto os professores estão temerosos em aderir, já que em outra ocasião eles sofreram prejuízo pelo mesmo motivo, mas só saberemos os números exatos da adesão em Campos após a festa de São Salvador, a freqüência de alunos é normalmente baixa antes da mesma — disse o coordenador.

Fonte:  Folha da Manhã

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *