O Estado do Rio registrou nas últimas três semanas 14 casos de malária, informou o Ministério da Saúde informou nesta quarta-feira (25). Em 2014 foram registrados apenas oito casos.

Conforme mostrou o RJTV, apesar do aumento no número de casos, a Secretaria estadual de Saúde informou que não se trata de um surto, e que os episódios são da forma mais branda da doença.

De acordo com a Secretaria de Saúde, os infectados moram ou estiveram na Região Serrana recentemente.

Foram registrados casos nas cidades de Miguel Pereira, Nova Friburgo, Petrópolis e Teresópolis. A origem de outros seis casos já confirmados está sendo investigada.

De acordo com a Secretaria de Saúde, todos os casos da doença registrados no Rio de Janeiro são da forma mais leve e nenhum paciente precisou ser hospitalizado nem corre risco de vida.

“Historicamente essa malária, que tem transmissão aqui no Rio de Janeiro, há vários anos não causa casos graves. Dos 14 casos que tivemos aqui no Rio este ano, todos evoluíram bem, sem nenhuma complicação”, disse Alexandre Chieppe, superintendente de Vigilância Epidemiológica e Ambiental da Secretaria de Estado de Saúde.

É a picada da fêmea contaminada do mosquito Anopheles que pode transmitir a malária, mais comum em regiões de Mata Atlântica.

Quando a pessoa é infectada, os parasitas presentes no mosquito instalam-se no fígado e levam entre duas a quatro semanas para amadurecer. Eles, em seguida, invadem e destroem as células vermelhas do sangue, e podem provocar sintomas como febre alta, dores de cabeça e no corpo, sensação de fraqueza, falta de apetite e calafrios.

As informações são do G1/RJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *