A mãe de Sawanna Araújo, de sete anos, pede que a população não deixe cair no esquecimento a necessidade de doações de sangue no Hemocentro de Campos. De acordo com Lena Souza, o tratamento da filha passou para um estágio avançado e mais agressivo com a necessidade de mais bolsas de sangue.
No último dia 30, o tenente-coronel Ramiro de Oliveira Campos, ex-comandante do 8º Batalhão da Polícia Militar (BPM), veio a Campos para apoiar a campanha de doação de sangue para duas crianças que estão internadas no Hospital Beneficência Portuguesa com leucemia linfóide aguda, além de Sawanna. A campanha de Ramiro surtiu um efeito positivo. No dia da visita do coronel, o Hemocentro Regional de Campos recebeu mais de 200 doadores e precisou encerrar o cadastro antes das 18h.
Dois irmãos de Sawanna fizeram um exame de compatibilidade de medula no dia 22 de agosto. O resultado deve sair no final de setembro. Mas, de acordo com Lena, mesmo que um dos filhos seja compatível com Sawanna ainda será necessário zerar as plaquetas doentes.
“O estado de saúde da minha filha é gravíssimo. Ainda assim não desisto. Peço sempre, peço todos os dias, por todos os meios que tenho e conheço. Doem. Doem sangue para a minha filha e todas as outras crianças que estão internadas. Só quem está aqui (hospital) sabe a angústia que é saber que seu filho precisa de plaquetas e não tem. Precisa de transfusão de sangue e não tem bolsa de sangue no estoque”, ressaltou Lena.
Lucas e Allison
O filho de Analice Manhães Viana, Lucas Manhães tem doze anos e está internado desde o dia 9 de junho. “Estamos no combate a essa doença há quase três meses. Peço que as pessoas doem sangue, por favor”.
O pequeno Allison Ramos tem seis anos e luta contra a leucemia há pouco mais de um ano. Segundo a mãe do menino, Luanda Ramos, o filho apresenta 20% da doença. “Quando a enfermeira vem dizer que não tem sangue porque o banco (de sangue) está zerado, dá um desespero, uma dor profunda. Minha vontade é sair nas ruas e implorar às pessoas que doem sangue pelo amor de Deus. Senão meu filho morre. Nossos filhos morrem”.
Quem quiser ajudar pode ir ao Hemocentro Regional que fica localizado no Hospital Ferreira Machado. As doações podem ser feitas das 7h às 18h todos os dias. Para doar é preciso levar um documento de identidade com foto, ter mais que 50 quilos, idade entre 16 e 69 anos, não estar em jejum e não ter ingerido alimentos gordurosos nas últimas três horas. Doadores de 16 e 17 anos devem ir acompanhados por um representante legal. Candidatos com idade superior a 60 anos só poderão doar se já fizeram doações de sangue anteriormente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *