A localidade de Ribeiro Amaro, distante alguns quilômetros do Centro de Campos, é pouca conhecida pelos mais jovens, mas carrega, em sua história, os anos de luta da população para torná-la mais digna. Apesar de ser um lugarejo com poucas ruas, algumas fazendas e com os moradores olhando o movimento pela janela, — como nos filmes que retratam a vida no interior —, as pessoas se dizem felizes em morar ali, embora haja problemas.
— Não temos problema com violência, já que todos se conhecem e, quando precisamos de            ajuda, gritamos o vizinho do lado e ele vem imediatamente. Em épocas de festa, todos se reúnem  e é uma alegria só — disse a dona-de-casa, Mirian de Souza Pinto, 31 anos. Mas, se por um lado a  violência não é considerada um problema, por outro, a falta de infraestrutura recebeu críticas.
A única escola municipal, a Professor Carlos Bruno, tem mais de 60 anos de existência e até  agora, segundo os moradores, não foi feita nenhuma obra de restauração. O medo da população é que o prédio, em péssimo estado de conservação, caia em cima das crianças.
— O prédio é muito velho, o telhado está caindo e os móveis estão em péssimas condições. Em dias de aula, algumas crianças são obrigadas a estudar no refeitório, porque as salas de aula estão completamente destruídas — disse Mirian. Ela lembrou ainda que foi iniciada uma obra na escola há algum tempo, mas não foi concluída.
A secretaria municipal de Educação informou que vai tomar as providências necessárias dentro de alguns meses, mas afirmou desconhecer o estado do prédio onde funciona a escola.

 Fonte: Folha da Manhã

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *