Na avaliação do presidente do Centro de Informações e Dados de Campos (Cidac), Ranulfo Vidigal, os estudos da Firjan apontam alguns aspectos sobre os quais os gestores públicos da região devem extrair lições. “Primeiro, mostra que os municípios precisam cuidar melhor da arrecadação própria. A receita do petróleo chegou a um teto. Mas as demandas só vão crescendo. Depois, esses novos investimentos que têm desembarcado na região representam uma grande oportunidade para que os municípios diversifiquem sua base produtiva com atração de novos investimentos e assim para melhorar sua receita fiscal. E a partir daí investir em saúde, educação e infraestrutura urbana”, analisou.

De acordo com Ranulfo, a receita dos royalties do petróleo é ilusória dentro de uma perspectiva de visão futura. “Dentro dos próximos anos, essa receita não será mais a mesma porque está sendo renegociada em Brasília. Não sabemos o quanto iremos perder, mas vamos perder um tanto. E as demandas só irão se multiplicar. Portanto, é ilusão o prefeito que fica sentado no orçamento dos royalties sem apostar nesses investimentos, além de uma burocracia bem treinada para fazer a gestão fluir na mesma velocidade da necessidade desses investimentos”, conclui.

Fonte: O Diário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *