É consenso que a vida moderna reflete um ambiente estressante, principalmente por ter se tornado uma corrida contra o tempo. Diariamente convivemos com sentimentos de ansiedade, nervosismo, pressa, medos (…) que da espaço para surgimento das doenças psicológicas. Doenças que são atribuídas ao estilo de vida, cultura e sociedade em que a pessoa vive, chamadas  comumente de distúrbios, disfunções, transtornos ou perturbações.

Este ambiente pode gerar determinados estados psíquicos disfuncionais, tendo como consequência várias reações biológicas. São traumas, bloqueios, formação educacional familiar, estrutura emocional da família. Enfim, muitos são os fatores que provoca nas pessoas a desenvolverem sintomas prejudiciais e que o levam a fobia, angustia, ansiedade e medo.

Então como sobreviver a uma época que nos impõe a eterna valorização e busca pela beleza “padrão”, a uma vida de correria, uma verdadeira corrida contra o tempo, entre outras imposições, que podem desencadear vários problemas emocionais (psicológicos), como  por exemplo, distúrbios de ansiedade, que englobam a síndrome do pânico, as depressões, transtornos compulsivos e alimentares e o estresse.

Os profissionais da saúde afirmam que  a melhor maneira de combater todos esses males é procurar um psicólogo, que pode ajudar a identificar os motivos dos distúrbios. Porém, em muitos casos não há um diagnóstico precoce, por falta de reconhecimento das chamadas “doenças da vida modernas”, por isto vamos listar a seguir alguns destes disturbios:

ALEXITIMIA

Aparece muita dificuldade em discernir sobre as suas próprias emoções e descrever os sentimentos. Pode ser induzida por abuso de drogas, stress pós-traumático, problemas vasculares estando presente no autismo e na esquizofrenia.

ANEDONIA

Surge incapacidade total ou parcial de obter e sentir prazer no dia-a-dia, geralmente associada à apatia. Presente nos estados depressivos.

APAGAMENTO EMOCIONAL

O paciente não apresenta expressão das emoções; a pessoa não transmite qualquer estado emocional visível no rosto, no olhar, na boca, ausência de expressão.

APATIA

Esta geralmente ocorre decorrente da depressão. O humor está muito diminuído e há falta de interesse, motivação e desejo. Incapacidade de sentir afectos. Certas doenças mentais podem provocar esta situação.

ALZHEIMER

 

É uma doença do cérebro, degenerativa, isto é, que produz atrofia, progressiva, com início mais freqüente após os 65 anos, que produz a perda das habilidades de pensar, raciocinar, memorizar, que afeta as áreas da linguagem e produz alterações no comportamento.

EMBOTAMENTO EMOCIONAL

Neste caso significa que a pessoa não sente normalmente as emoções; estas parecem apagadas no que se refere à intensidade e, por isso, quase não se percebe o que ela realmente sente. Aparece na demência, em certas lesões cerebrais e nos doentes psicóticos.
         DEPRESSÃO A pessoa fica apática, isola-se do convívio social e recusa qualquer tipo de tratamento, pois pensa, equivocadamente, que seu problema não tem solução.

DISFORIA

Estado de humor desagradável e negativo que inclui desconforto emocional e intranquilidade.

EUFORIA

Humor de sinal positivo, elevado, contentamento extremo, pode ser “alegria patológica”, com carácter preocupante sendo necessária ajuda psiquiátrica.

HUMOR ANSIOSO

Sensação de apreensão, tensão interior, que pode exprimir-se através de palpitações, náuseas, sudação e outras alterações fisiológicas.

HUMOR DEPRIMIDO

Equivale a um estado de tristeza e disforia.

NEOTIMIA

Problema decorrente de psicose que envolve sentimentos e estados afectivos inteiramente novos, estranhos e até bizarros para o doente.

PUERILIDADE

Vida afetiva superficial, nenhum afecto profundo, a pessoa ri ou chora por motivos banais.

RESTRIÇÃO EMOCIONAL

Ocorre nos casos da pessoa com dificuldade em sentir certas emoções. Pode ser temporário ou indicar alguma perturbação afetiva.
         ESTRESSE Manifestação do corpo em represália aos abusos cometidos contra ele, seja porque a pessoa permaneceu ansiosa por um longo tempo, seja porque não respeitou as necessidades de alimentação, repouso e lazer do seu organismo. Cada pessoa manifesta o seu stress de maneira diferente: através de um distúrbio digestivo (gastrite, úlceras, intestino irritável), ou por meio de alergias, de compulsão alimentar, do pânico ou da depressão, entre outros.

TRANSTORNOS DO PÂNICO

Um dos sintomas físicos que levam um paciente com pânico a buscar um pronto socorro é a dor no peito

DISTÚBIOS ALIMENTARES

ANOREXIA

Sinônimo de falta de apetite, a pessoa não sente fome nem vontade de comer, embora possa ter momentos de compulsão alimentar.

 BULIMIA

A pessoa sente fome e, muitas vezes come uma enorme quantidade de alimento, sentindo-se culpada por isso e provocando o vômito para aliviar a culpa, como se a eliminação da comida evitasse o “engordar”.

Para evitar desenvolver doenças emocionais os profissionais da área indicam:

– Conhecer a si mesmo e respeitar os seus limites.

– Saber equilibrar as suas obrigações do dia-a-dia com lazer, momentos de relaxamento, alimentação equilibrada, atividade física e paz.

– Não ser muito rígido consigo mesmo e não esperar a aprovação das pessoas, mas contar com sua própria aprovação.

Enfatizando que uma pessoa deve procurar ajuda profissional sempre que perceber que sofre e não consegue, sozinha, encontrar solução para seu problema, seja ele qual for. E deve-se tornar cuidado na procura de um profissional, pois um tratamento inadequado pode agravar o problema ainda mais.

Porém, pesquisando onde as pessoas que apresentem sintomas de doenças psicologicas podem procurar ajuda (tratamento) em Campos tive uma surpresa. Infilizmente ruim, encontrei muita dificuldade na pesquisa, e sem obter sucesso. Vai aí uma sugestão: criação de um hospital especializado em atendimento e tratamento de doenças emocionais, que vise a melhor qualidade de vida dos Campistas que vierem desenvolver doenças psicologicas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *