Dados comparam período de agosto a janeiro dos últimos dois anos.
Estado que registrou maior área devastada foi o Mato Grosso.

O Ministério do Meio Ambiente informou nesta sexta-feira (21) que o desmatamento na Amazônia Legal caiu 19% no período de agosto de 2013 a janeiro de 2014 em comparação a agosto de 2012 e janeiro de 2013. No total, foram desmatados nos últimos seis meses 1.162,5 km². Em agosto de 2012 a janeiro de 2013 foram 1.427 km². A Amazônia Legal compreende todos os estados da Região Norte, além de Mato Grosso e parte do Maranhão.

Os dados divulgados são do sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter), instrumento que captura informações via satélite. O governo adota o recorte de agosto a janeiro porque nos meses de junho e julho, mais chuvosos, a incidência de nuvens sobre a região pode afetar os resultados Segundo a ministra Izabella Teixeira, os dados do Deter ainda precisam ser confirmados pela fiscalização em terra.

Os dados do Deter, de acordo com o ministério, servem para gerar alerta sobre as áreas devastadas. No entanto, as informações que representam o índice oficial de desmatamento do governo federal são do sistema de Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal (Prodes).

Pelos números do Deter, o estado que registrou maior área devastada foi o Mato Grosso, onde foram desmatados 375 km² entre agosto do ano passado e janeiro deste ano.

No Pará foram desmatados 294 km². Rondônia registrou desmatamento de 175km² e, no Amazonas, a área de floresta devastada foi de 162km².

Os dados do Inpe mostram ainda que em quatro dos nove estados da Amazônia houve redução na área desmatada no período analisado: Mato Grosso, Pará, Rondônia e Maranhão.

Para a ministra Izabella Teixeira, não há preocupação do governo federal com “estado A, B ou C”. Segundo ela, o governo se preocupa com o processos criminosos relacionados ao desmatamento ilegal.

“Não tenho preocupação com estado A, B ou C. Tenho preocupação com os processos criminosos que orientam o desmatamento. Há estados que tradicionalmente são responsáveis pelos aumentos no desmatamento e que vêm reduzindo os números ao longo do tempo”, disse.

Ainda de acordo com o ministério, foram registrados entre agosto de 2013 e janeiro de 2014 1.540 autos de infração. As autoridades recolheram R$ 550 milhões em multas de crimes ambientais e 41 mil hectares de áreas verdes foram embargados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *