Doenças típicas do verão.

As tão esperadas férias de verão chegaram. Entretanto é necessário incluir alguns cuidados de saúde para garantir as férias e voltar para casa com saúde.

Por isto o médico e professor de Medicina da Entretanto Cidade de São Paul, Dr Valdes Bollela, preparou algumas dicas para evitar e amenizar os problemas mais comuns nas viagens de férias.

Segundo ele, os incidentes mais corriqueiros em passeios de longa duração, em especial no verão, são: desidrataçãoinsolaçãodiarreiaqueimaduras e alergias.

No caso da desidratação, insolação e diarréia o indicado é tomar muita água e abusar de sucos e frutas frescas, além de evitar sol nos horários de pico. A melhor escolha é sempre água mineral, inclusive para lavar frutas e verduras, o que ajudará a evitar as diarréias ocasionadas por água contaminada.

Já no caso das queimaduras, recomenda-se o uso de filtro solar e muita proteção com bonés óculos escuros e guarda-sol.      Porém, caso as queimaduras ocorram, a melhor solução é interromper a exposição solar, ingerir muita água e alimentos leves, além de hidratar a pele com produtos específicos. Em caso mais graves procurar um médico.

No caso das alergias – principalmente aquelas causadas por picadas de insetos – podem ser evitadas com a aplicação de repelentes e contornadas com o uso de pomadas antiinflamatórias aplicadas no local.

Dengue – O verão é  quente com chuvas, clima propício para a proliferação do Aedes aegypti, o mosquito transmissor da dengue.

Nosso país vem assistindo repetidas epidemias, por isto o verão é época de ficar alerta em relação a doença. O principal cuidado é evitar criadouros do mosquito em casa. Vale lembrar que o Aedes é mosquito de hábitos urbanos e gosta de reservatórios de água parada e limpa.

O uso de repelentes também pode ser útil. Porém se aparecerem febre alta, cefaléia, dor em volta dos olhos, dor no corpo, é importante procurar atendimento médico imediatamente pois pode ser dengue. O ponto mais importante no cuidados do pacientes com dengue é o diagnóstico precoce das formas graves. Apesar de não ter remédio específico, o diagnóstico precoce e tratamento das formas graves reduz significativamente as complicações e óbitos por dengue. Qualquer pessoa pode ser infectada e desenvolver dengue.

Cuidados com a pele – No verão o principal cuidado com a pele é com a proteção solar. A exposição solar diária é responsável pelo foto envelhecimento e aparecimento de rugas e manchas. Nas pessoas de pele e olhos claros, há uma incidência maior de câncer de pele. Se além da exposição diária há um abuso na exposição ao sol, haverá como resultado um aprofundamento destes danos à pele. Sem contar com a queimadura solar, que além do incomodo que causa, está associada à ocorrência do melanoma que é um tipo de câncer extremamente agressivo.

O verão é uma estação que convida às atividades esportivas e de lazer em ambiente aberto, tendo como consequência a exposição maior ao sol. “Basta apenas se proteger, mecanicamente com as roupas ou quimicamente com os filtros solares. É sabido que há horários em que os raios ultravioletas são mais agressivos. Há também variações com a latitude, estação do ano, altitude. Para descobrir é simples: observe o tamanho da sua sombra. Se ela for maior do que você, é um bom horário. Se ela for do seu tamanho ou menor do que você, fuja do sol, pois neste horário há um predomínio e raios ultravioletas B, que embora penetrem mais superficialmente na pele, estão associados ao câncer de pele. Deve-se usar filtros com FPS entre 15 e 30”, afirma.

É importante atentar ainda pelo aumento na incidência do câncer de pele. “A doença está ocorrendo em faixas etárias mais baixas, certamente relacionada a uma exposição maior na infância. A pessoa que se expuseram exageradamente neste período da vida tem 50% mais chances de desenvolver câncer de pele”, diz.

Alimentação – De acordo com o especialista, os alimentos frescos, principalmente frutas, legumes e verduras, devem ser priorizados no verão, pois são mais nutritivos e de fácil digestão. Todavia, comidas gordurosas e exóticas devem ser dispensadas, para evitar problemas de digestão.

Vacinas – Para quem viaja para algumas regiões do Brasil, como nas matas no Centro-Oeste, o médico recomenda tomar a vacina contra febre amarela. Para quem pretende sair do país e visitar países da América Central, África e Ásia, por exemplo, a mesma vacina é indicada. No entanto, cada país tem as suas exigências, as quais podem ser conhecidas por meio de seus consulados. “O seguro saúde é indispensável em viagens internacionais”, enfatiza Bollela.

Farmácia básica – O especialista recomenda ter em mãos alguns medicamentos básicos, como antitérmicos, analgésicos, antiinflamatório e material para desinfecção e curativo de ferimentos. “Caso a pessoa use uma medicação específica, é recomendável levar a receita médica e remédio suficiente para o período, já que em alguns locais os mesmos podem não ser encontrados”, alerta Bollela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *