O coronel reformado da Polícia Militar Pedro Chavarry Duarte, de 62 anos, foi preso em flagrante na noite deste sábado (10), sob acusação de estupro de vulnerável e corrupção. O policial foi flagrado em um carro com uma menina de dois anos, nua, no complexo de favelas da Maré (zona norte). Para não ser preso, o coronel ofereceu suborno aos policiais militares que o encontraram. Duarte é presidente da Caixa Beneficente da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro. Formado em Direito e com 42 anos na PM, Chavarry passou por vários batalhões, entre eles o 8°BPM de Campos de Goytacazes.
A polícia chegou até o coronel por meio de uma denúncia anônima de que um homem estava na Rua Barreiros, em Ramos, com uma criança nua que chorava, dentro de um carro estacionado em um posto de gasolina. Segundo a PM, o coronel reformado se identificou e propôs que a ocorrência fosse encerrada, em troca de vantagens para os policiais do 22º Batalhão (Maré). Um dos policiais filmou a tentativa de suborno.
Duarte foi levado para a Cidade da Polícia, no Jacaré (zona norte), e depois transferido para um presídio que recebe policiais militares, em Niterói, na região metropolitana.
Segundo informações de moradores da região repassadas à polícia, aquela não era a primeira vez que o policial reformado levava a criança. As primeiras notícias são de que a mãe da menina está presa e criança ficou sob os cuidados de uma vizinha. A menina será levada à Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (Dcav) para avaliação.
Em nota divulgada neste domingo (11), a Polícia Civil informa que o coronel reformado foi autuado em flagrante pela delegada Carolina Marins, da Central de Garantias, pelos crimes de estupro de vulnerável e corrupção ativa. Segundo a polícia, “cópias do procedimento serão encaminhadas ao Conselho Tutelar, para garantir a assistência à criança, e à 21ª Delegacia de Polícia, para prosseguir na investigação quanto a possíveis envolvidos no crime”.
Também em nota, a Polícia Militar confirmou a prisão do coronel reformado, a partir de uma denúncia anônima. “O senhor se identificou como policial reformado e pediu que a ocorrência fosse encerrada, oferecendo vantagens aos policiais militares. A equipe recusou a oferta e o conduziu preso para o registro. A Polícia Militar repudia e combate qualquer tipo de crime”, diz a nota da PM.
O crime de estupro de vulnerável prevê pena de oito a quinze anos de prisão e o de corrupção ativa, de um a oito anos de prisão.
Influente e bem visto na corporação
No site da Caixa Beneficente, um histórico destaca os pontos altos da carreira do coronel Pedro Chavarry na Polícia Militar. Segundo o site, ele ingressou na PM com apenas 19 anos, e três anos depois se tornou aspirante. Dentro da corporação passou por vários batalhões, entre eles o 4° Batalhão em São Cristóvão, o 8° em Campos de Goytacazes, 14° em Bangu e o 16° em Olaria. A publicação ainda destaca que o oficial “adquiriu experiência necessária para se tornar um homem influente e bem visto dentro da corporação”.
Chavarry está há quase seis anos no comando da Caixa Beneficente e ainda tem em seu currículo a passagem pelo gabinete de quatro comandantes-gerais, relações-públicas da Polícia Militar, membro da mesa diretora da irmandade de Nossa Senhora das Dores da PM e Diretor Social da Caixa Beneficente na gestão do ex-presidente da instituição Ary Lopes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *