Consumo reduz e venda cai 4%

Dora Paula Paes
Foto: Rodrigo Silveira

Filho com poder de compra menor levou a redução nas vendas no comércio de Campos pelo Dia das Mães. No cenário nacional, a previsão inicial era de queda entre 7% e 10%. Em Campos, em uma estimativa inicial, o presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) Norival Manhães fala em queda de 4%, quando comparado com o resultado do mesmo período do ano passado.

As indefinições nas áreas econômica e política em 2015 e 2016 foram os fatores que pesaram na balança na hora de sair às compras e no bolso do consumidor, que se manteve retraído para a data considerada a segunda melhor para o comércio. Por outro lado, na Indústria, o Sistema Firjan divulgou na última sexta-feira, que os próximos meses para setor serão de estabilidade no Norte Fluminense.

— A indefinição política, a altíssima taxa de desemprego e de juros estão levando a uma retração no consumo, principalmente, no comércio. O Dia das Mães continua sendo a segunda melhor Data Comemorativa. Tivemos um 2015 totalmente atípico. Hoje, a realidade é outra e o cenário é o pior possível, mas vamos esperar com otimismo as outras datas comemorativas, que são o Dia dos Namorados, dos Pais, das Crianças e o Natal — disse Norival Manhães.

Quem fez o esforço de ir às compras para agradar às mães — o conselho de especialistas era evitar endividamento com a compra do presente — contribuiu para fazer de maio um mês melhor para o comércio local. “O comércio tem sofrido nos últimos meses, esperamos ao final de maio ter um resultado entre 10% e 15% melhor que o registrado em abril”, disse o presidente da CDL.

Indústria — As indústrias do Norte Fluminense registraram queda da atividade produtiva em março, foi o que revelou a Sondagem Industrial, pelo Sistema Firjan. A pesquisa, realizada com empresários da região, apontou queda em diversos indicadores, entre eles o de volume de produção, que atingiu 15,5 pontos, ficando próximo do mínimo histórico de 12,4. A pesquisa varia de zero a cem pontos. Os valores abaixo de 50 indicam piora ou redução e acima de 50 representam melhora ou aumento.

No entanto, nem tudo deve estar perdido. A perspectiva para os próximos seis meses é de estabilidade. Para os empresários, tanto a demanda por produtos industriais (49,1 pontos) quanto a compra de matéria-prima (48,6 pontos) e o número de empregados (49,6 pontos) devem ficar estáveis, informou a Firjan.

Participaram da Sondagem Industrial empresas dos nove municípios atendidos pela Representação Regional Firjan/CIRJ Norte Fluminense: Campos, Cardoso Moreira, São Francisco de Itabapoana, São João da Barra, Quissamã, Conceição de Macabu, Carapebus, Macaé e São Fidélis;

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *