Mesmo usando colete, cinegrafista não resitiu ao tiro no peito.

Cerca de 100 policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e do Batalhão de Choque, sob o comando do 1º tenente Leonardo Novo Oliveira Araújo, com apoio do Batalhão de Ações com Cães, estão no local desde a madrugada, em uma operação surpresa que começou na manhã deste domingo. Houve um intenso tiroteio na região por cerca de uma hora, mas o clima permanece tenso na favela. Os policiais continuam no local a procura de traficantes.

De acordo com fontes que estavam no local, os policiais do Bope foram surpreendidos pelo ataque dos traficantes da Favela de Antares e pediam aos profissionais da imprensa que se arrastassem pelo chão, para evitar que fossem atingidos por balas perdidas no tiroteio. Gelson acabou sendo atingido por um tiro de fuzil e não resistiu aos ferimentos.

A Secretaria de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro lamentou, por meio de sua assessoria de imprensa, a morte do cinegrafista da Rede Bandeirantes de Televisão Gelson Domingos, baleado na manhã deste domingo (6) durante uma operação do Batalhão de Operações Especiais (Bope) contra o tráfico de drogas. A operação ocorreu na Favela de Antares, em Santa Cruz, na zona oeste da cidade.

Domingos foi atingido por um tiro no peito e, embora estivesse usando colete à prova de balas, ficou ferido e foi levado pela própria polícia para a Unidade de Pronto-Atendimento 24 horas de Santa Cruz, conhecida como UPA do Cesarão, mas não resistiu e morreu. Ele fazia a cobertura da operação contra o tráfico para o programa Brasil Urgente, da Bandeirantes.

De acordo com a assessoria da Secretaria de Segurança Pública, a imprensa não havia sido convocada para acompanhar a operação, devido ao elevado risco envolvido. A polícia está investigando o ocorrido. Gelson, 46 anos, também trabalhava na TV Brasil e deixa mulher e três filhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *