Procuradoria pediu bloqueio de bens de acusados e fiança de R$ 1 milhão por pessoa

RIO- O Ministério Publico Federal do Rio de Janeiro formalizou às 15h desta quarta-feira a acusação criminal contra 17 executivos da Chevron e da Transpcean, com a entrega da denúncia na 1ª Vara Federal de Campos. Eles são acusados de crimes ambientais e falsidade ideológica, devido ao vazamento de cerca de 2,4 mil barris de petróleo na Bacia de Campos e os desdobramentos do acidente.

Na denúncia, o procurador da república Eduardo Oliveira pede também o seqüestro de todos os bens dos denunciados e o pagamento da fiança de R$ 1 milhão para cada pessoa e R$ 10 milhões por casa empresa.

A 1ª Vara Federal de Campos ainda precisa decidir se vai aceitar a denuncia (acusação formal) e, caso aceite, iniciar o processo criminal.

Oliveira requisitou à Justiça que todos os acusados sejam condenados pelos crimes e fiquem presos por até 31 anos e 10 meses nos três casos mais graves, que combinam acusações de crime ambiental, falsidade ideológica e dano ao patrimônio público.

Caso sejam condenados pela Justiça, o valor da fiança será para pagar a indenização dos danos, multa e custas do processo.

O presidente da Chevron no Brasil, George Raymond Buck III, está entre os 17 denunciados e pode pegar até 31 anos de prisão se for condenado.

Fonte: O Globo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *