Quase 9 mil vagas estão abertas em concurso pelo país somente nesta semana

Com oportunidades em várias regiões e em funções diversificadas, 8.958 mil vagas estão com inscrições abertas em concursos públicos somente nesta semana. Além destas, outras 40 mil chances aguardam os pedidos de inscrição para as próximas semanas. Não perca o prazo! Fique atento às principais seletivas escolhidas pelo Banco de Concursos para esta semana.

– Siga o Banco de Concursos no Twitter e no Facebook.

A segunda-feira, dia 5, começa com uma grande oportunidades para os interessados no serviço público em Cuiabá (MT). É que a Secretaria de Educação da cidade separou 3.394 vagas para cargos de nível médio e superior com remuneração que chega a R$ 2.709. Uma oportunidade e tanto!

Aos que possuem nível superior, a chance pode estar no concurso do Tribunal de Contas do Rio Grande do Norte. São duas vagas para Auditor com salário de R$ 28,9 mil. Mas atenção, o prazo de inscrição encerra na próxima quarta-feira, dia 7.

A semana também reúne uma série de concursos em prefeituras de várias cidades. As ofertas de vagas são generosas, como é o caso da prefeitura de Arraial do Cabo (RJ) com 1.280 oportunidades. Também no Rio, a prefeitura de Nova Friburgo seleciona 868 candidatos de nível fundamental, médio e superior. Já as prefeituras goianas de Inhumas e Caldas Novas, juntas, somam 718 vagas com remuneração de até R$ 3,6 mil.

 

Fonte: R7.com

Campos – minha cidade, meu amor e a educação um horror!

12088407_718655828267703_2800959187147578080_n

Este governo da covardia e da corrupção agora terá mais um novo adjetivo: sem vergonha! Como pode após 7 anos na administração de 2 ex-governadores e muitos outros capachos, a nossa cidade ainda continuar com baixo índice de formação das nossas crianças. A qualidade dos serviços para formação tem sido tão prejudicada que a todo instante nos trás vergonha ao ver o IOEB que só figura nas últimas colocações. Tentam jogar a culpa nos profissionais, mas a verdade mesmo é que este Des-governo Rosa só pensa em “se dar bem”… não tem nenhum compromisso com a população e buscam a todo momento e de todas as formas deixar a população alienada, mas se Deus permitir, um dia nosso povo se liberta deste mal instalado em nossa cidade!

Campos dos Goytacazes em 88ª posição do IOEB.

Inscrições abertas do vestibular Cederj

Estão abertas a partir as inscrições para o Vestibular Cederj 2016. São 7.749 vagas para 15 cursos de graduação a distância nas instituições públicas de ensino superior do Consórcio Cederj, da Fundação Centro de Ciências e Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro (Cecierj). São elas: Cefet, Uenf, Uerj, UFF, UFRJ, UFRRJ e UniRio. São Francisco do Itabapoana é um dos municípios contemplados pelo processo.

Fundado em 2003, o Polo Cederj de São Francisco funciona no Ciep Celso Martins Cordeiro com cinco cursos de licenciatura: Ciências Biológicas (Uenf), Letras (UFF), Matemática (UFF), Pedagogia (Uenf) e Química (Uenf).

Durante o curso, o estudante recebe todo material didático, na forma online e impressa, e é avaliado em atividades presenciais (provas) e a distância, em datas e horários pré-determinados. Atualmente, mais de 40 mil alunos estão matriculados nos cursos de graduação a distância.

Para concorrer a uma das vagas, o interessado deve fazer o Vestibular Cederj. A inscrição será feita apenas pela internet, no site www.cederj.edu.br/vestibular, até o dia 15 de novembro. O valor da taxa é R$ 65 e no ato da inscrição será necessário escolher o polo de ensino e o curso. A prova do Vestibular Cederj, ligado à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), acontecerá no dia 19 de dezembro e os aprovados iniciarão a graduação no primeiro semestre letivo de 2016.

homenagem do Lions Club de Campos pela passagem do dia do soldado

Aconteceu hoje, 25 de agosto, a homenagem do Lions Club de Campos pela passagem do dia do soldado. Há 57 anos o Lions Club de Campos vem homenageando o Patrono do Exército Brasileiro, Duque de Caxias. Como sempre é feito,este ano a oração do soldado ficou a cargo do major Oswaldo Barreto de  Almeida, uma mensagem clara que trouxe os relatos das guerras em que o Brasil participou junto com seus soldados. Houve a presença maciça de diversas autoridades e contou com alunos da Escola Lions I e as autoridades leonísticas. O presidente do Lions Club de Campos, Odilon Martins, ressaltou a importância do civismo na formação ética e moral das nossas crianças: “…precisamos promover mais atividades nas escolas, seja com o hasteamento da bandeira ou com o canto do hino nacional. Vamos promover o trabalho de visitação às escolas públicas” .

Educação continua reprovada

Jhonattan Reis
Fotos: Leitor e
Valmir Oliveira 

“Estamos com medo de mandar nossos filhos para a escola estudar por conta dos diversos problemas que ocorrem”, falou a esteticista Rosita Brito, de 48 anos, que, assim como outros responsáveis de alunos da Escola Municipal Alcindor Bessa, pediu atenção das autoridades para a situação enfrentada na unidade, localizada no Turf Club. De acordo com mães de alunos, são várias as dificuldades na escola, como falta de porteiros e diretora, ventiladores quebrados e salas depredadas. Na tarde de terça (9), quatro mães de alunos teriam se reunido com a subsecretária Municipal de Educação, com o objetivo de levar os problemas da unidade e solicitar melhorias. Segundo Rosita, a subsecretária teria dito que as dificuldades seriam resolvidas “o mais rápido possível”. Também na terça, o Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe) realizou assembleia informativa e cobrou, entre outros pontos, melhorias nas escolas.

— São muitas carteiras quebradas, ventiladores que não funcionam, portas sem chave e que abrem com tesouras. São vários os problemas na escola, sendo que o principal é a falta de segurança. Não tem um porteiro para verificar quem entra e sai da escola e as crianças fazem o que querem. Antes do último feriado houve dois casos de violência entre alunos nos banheiros da escola. Até crianças que não são da unidade entram lá, pois não tem ninguém para impedir. A escola ainda está sem diretor há uma semana e sem segurança desde o início do ano — disse Rosita.

Mães de alunos cobraram melhorias do poder público. “Se a situação permanecer, não mandaremos mais nossos filhos para a escola, pois acaba que já ficou perigoso demais. Minha filha, que tem 10 anos e estuda à tarde, conta que vários problemas acontecem diariamente no local. Já a subsecretária disse que vai agilizar o mais rápido possível e que podemos contar com ela”, falou Rosita.

 

Area Verde Urbana Lios club

areas

 

Convite:

Inaugura amanhã 03 de junho 2015 pela passagem da semana Nacional do meio ambiente o

“ Parque Verde Urbano Lions Club“ Fazendo parte do Loteamento Alfa Green Localizado no final da Rua Benedito Queiroz,Quadra “N”Bairro São Benedito.

O Parque será criado com mudas de arvores frutíferas e nativas da mata Atlântica que trará a comunidade do bairro um espaço para poder caminhar e apreciar a natureza.Uma parceria entre LIONS CLUB DE CAMPOS e a Prefeitura Municipal de Campos dos Goytacazes,que através da Secretaria de desenvolvimento Ambiental- sub secretario Zacarias Albuquerque tornou possível mais este serviço a ser feito em prol da comunidade.

O Futuro só depende de Você,faça sua parte e a Natureza agradece.

Contato: Odilon Martins

(22) 981002001

Secretaria de desenvolvimento ambiental

(22) 27383355

Paralisação na Faetec prejudica atividades

 

Profissionais da rede da Fundação de Apoio a Escola Técnica (Faetec) paralisaram as atividades, quarta-feira (27), por 24 horas, para “chamar atenção” do Governo do Estado. De acordo com a diretora do Sindicato dos Profissionais de Educação da Faetec, Fabiana Gomes Salles, o Plano de Cargos e Salários da categoria está “congelado” e a secretaria estadual de Ciência e Tecnologia teria prometido que enviaria a regulamentação do plano à Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) no último dia 20 (quarta-feira), o que não teria ocorrido. No calendário de manifestações, o sindicato também prevê mais duas paralisações, uma no dia 17 de junho, quando os profissionais vão pleitear na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) o reajuste salarial de 22%; e outra no dia 29 de junho — a categoria vai se reunir em assembleia para definir o que foi conquistado pelos profissionais até esta data.

— Toda a rede da Faetec do Estado do Rio realizou uma manifestação em frente à secretaria estadual de Ciência e Tecnologia, para cobrar soluções do nosso Plano de Cargos e Salários. Tivemos esse direito aprovado no ano passado e neste ano a atual presidência da Faetec cortou o plano para fazer algumas mudanças. Também ontem, fomos recebidos pelo subsecretário de Ciência e Tecnologia. Em breve a regulamentação do plano terá proposta. Foi comentada também, na reunião, a possibilidade de a categoria estar participando da elaboração das novas regras para o plano. Vamos aguardar essas promessas — declarou Fabiana Gomes Salles.

A diretora do sindicato explicou ainda que o plano prevê que, de dois em dois anos, o servidor da Faetec mude de nível e o salário seja reajustado em 7%. “Tivemos essa vitória no ano passado após dezenas de manifestações e reivindicações junto ao Governo do Estado. A categoria espera que esse direito retorne, já que lutamos por anos para conquistá-lo”, declarou.

Segundo Felipe Monteiro, de 23 anos, aluno do curso de Edificações, dentro da instituição havia um cartaz no quadro de avisos informando da paralisação dos profissionais nessa quarta-feira. “Os alunos também acompanham as reivindicações dos professores e a gente espera que eles sejam atendidos pelo governo, para que não sejamos prejudicados futuramente”, disse o aluno.

Na Uenf, sindicato também quer parar

Em meio à crise que se instala entre as universidades estaduais e federais de Campos, a Universidade Estadual Norte Fluminense também ameaça parar, caso suas reivindicações não sejam atendidas. Segundo o presidente da Associação dos Docentes da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Aduenf), Raul Palácio, as reivindicações em conjunto com o Diretório Central dos Estudantes (DCE) pedem o pagamento das bolsas dos estudantes, a reposição das perdas salariais dos professores, o pagamento do valor integral do auxilio alimentação e a equiparação aos valores pagos aos servidores do Judiciário, além do descongelamento do valor do auxílio insalubridade.

Nesta quinta-feira (28), às 10h, o sindicato dos Auxiliares de Administração Escolar do Estado do Rio de Janeiro (Sintuperj) se reúne em assembleia na quadra do prédio da reitoria, para definir as pautas a serem reivindicadas. Segundo o dirigente sindical Pedro Brasil, será discutida na assembleia uma possível paralisação no próximo dia 29.

D.N.
Foto: Folha da Manhã 

 

Volta às aulas após cinco dias de greve

 

Suzy Monteiro
Foto: Michelle Richa 

Os professores municipais voltaram segunda-feira (25) às salas de aulas depois de cinco dias parados na semana passada em uma greve que atingiu cerca de 90% da rede, de acordo com o Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe). O retorno ao trabalho transcorreu sem incidentes, mas a categoria permanece em estado de greve, como explica um dos diretores do sindicato, Sandro de Paula: “Esperamos que as negociações continuem em curso e que o governo cumpra os prazos prometidos para resolver às reivindicações dos professores”, afirmou.

Na manhã de segunda, a equipe da Folha da Manhã percorreu várias instituições de ensino e o clima era de tranquilidade em escolas como o 29 de Maio, na Pecuária, Maria Lúcia, no Turfe Clube, Vilma Tâmega, no Centro e Wilmar Cava Barros, no Joquei Clube. O mesmo se repetiu na parte da tarde.

O professor Sandro de Paula explicou que o reajuste salarial só deverá voltar a ser discutido em setembro, como foi posto pela Prefeitura de Campos. Mas, outras reivindicações devem ser atendidas antes, como o cartão que irá substituir o Rio Card.

— A Prefeitura pediu 15 dias para conversar com as empresas, além disso, tem o plano de saúde, que agora será Fundo Municipal de Assistência à Saúde. Porém, isso depende da Câmara dos Vereadores para por em votação. Também tem o readequamento do Plano de Carreiras, cujo o dos profissionais da Educação só muda de letra de três em três anos e o dos demais servidores de dois em dois anos — explicou.

Outro problema que o governo municipal se propôs a resolver, pelo menos parcialmente, é o da segurança nas escolas. Segundo Sandro, em um primeiro momento, seria em 30 escolas: “O problema é que toda rede tem cerca de 250 escolas”. O sindicalista também contestou a informação divulgada em alguns veículos de comunicação de que o Sepe não teria legitimidade para representar os professores: “O Sepe tem Carta Sindical do Ministério do Trabalho para representar os professores do município, como os do Estado”, afirmou.

Propostas vão ser avaliadas aos poucos

Durante cinco dias na semana passada, professores da rede municipal de ensino ficaram em greve por melhorias salariais e de condições de trabalho. Mesmo sob ameaça de corte de regência e dos dias não trabalhados, eles não se renderam e continuaram na luta. Na última sexta-feira, chegaram a acampar na sede do governo municipal, a exemplo do que fez a própria prefeita Rosinha Garotinho, quando teve seu mandato cassado em setembro de 2011 pela Justiça Eleitoral.

O ato de sexta-feira foi considerado “histórico” pelos manifestantes, que tiveram apoio de outras categorias como servidores da Saúde, Federação dos Estudantes de Campos, Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec) e docentes do Instituto Federal Fluminense (IFF).

omissão de Educação da Alerj em instituições de Campos

 

Na manhã desta sexta-feira (22), membros da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) se reúnem com representantes da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (Uenf), quando serão apresentadas as reivindicações da comunidade acadêmica. Já durante a tarde, a comissão terá encontro com representantes do Isepam.

Foto: Genilson Pessanha

 

 

Greve na Educação em Campos chega ao quarto dia

Com informações de Carolina Barbosa
Fotos: Carolina Barbosa

A paralisação dos professores da rede municipal de ensino de Campos chegou ao quarto dia nesta quinta-feira (21), após a categoria rejeitar as propostas do governo. Na noite de quarta (20), em assembleia, os profissionais decidiram manter a greve até sexta (22), quando um ato será realizado na praça São Salvador, às 15h. No mesmo dia, uma nova reunião vai discutir se a greve será mantida até o dia 30.

Profissionais da Escola Municipal Maria Lúcia, no Turfe, realizaram um protesto na manhã desta quinta. Com cartazes, o grupo se reuniu em frente à unidade que aderiu parcialmente ao movimento. Eles ocuparam a avenida 28 de Março apenas durante o tempo em que o sinal fechava para os veículos. Na Escola Municipal Lions I, no Parque Santa Rosa, a adesão à paralisação também foi parcial. Durante a manhã, cerca de 90% dos profissionais mantiveram a greve, segundo funcionários. A unidade possui aproximadamente 1.200 estudantes.

Os professores reivindicam o reajuste salarial, além de concurso público, merenda escolar de qualidade, infraestrutura, material didático de melhor qualidade pedagógica, valorização profissional com assistência à saúde, revisão do Plano de Cargos e Salários, reajuste, reposição das perdas salariais e incorporação da gratificação nos salários.