Carne de bebês em pó são usadas em cápsulas encontradas na Coreia do Sul

 

Fotos de cápsulas encontradas na Coreia do Sul

 

A polícia da Coreia do Sul divulgou nesta terça-feira (8) imagens de cápsulas produzidas com pó de carne humana apreendidas pela alfândega do país. As cápsulas, que segundo as autoridades policiais, são contrabandeadas da China, seriam produzidas a partir de bebês mortos. Os consumidores acreditavam em supostas propriedades medicinais do produto e afirmaram não saber se tratar de carne humana.

Desde agosto de 2011, a alfândega sul-coreana descobriu 35 tentativas de contrabando de mais de 17.450 cápsulas desse tipo disfarçadas de outros medicamentos. A maioria chega escondida em enchimentos falsos de bagagens e bolsas apreendidas em aeroportos.

Segundo a alfândega sul-coreana, as cápsulas foram feitas no nordeste da China a partir de bebês cujos corpos foram cortados em pedaços pequenos e secos em estufas antes de virar pó.

As autoridades, porém, não informaram o local exato de origem das cápsulas nem quem as produziu. Segundo a agência de notícias Associated Press, isso ocorreu para evitar problemas diplomáticos com a China. As cápsulas de carne humana continham bactérias.
O país tem intensificado o contrabando destas cápsulas vindas da China e produzidas a partir de bebês mortos devido a suposta propriedade medicinal do material AFP.

Introduzir estes comprimidos no país viola a lei que proíbe produtos que “ferem a dignidade humana e os valores”, declarou à AFP Kim Soo-Yeon, um funcionário da alfândega.

No ano passado, oficiais chineses iniciaram uma investigação sobre a produção de cápsulas com carne de bebês recém-nascidos e fetos, após uma denúncia feita pela TV sul-coreana SBS que acusou empresas farmacêuticas da China de colaborarem com clínicas de aborto para produzir o material.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *