Os municípios de Campos, Macaé e São João da Barra seguem criando oportunidades de emprego com carteira assinada, sendo cada um dentro da sua atual realidade econômica. Com base nos Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho, o   presidente do Centro de Informações e Dados de Campos (Cidac), Ranulfo Vidigal, explica a evolução dos números de vagas criadas nos três municípios no primeiro bimestre deste ano. Os três juntos empregaram 2.430 pessoas. O saldo é, segundo ele, bem positivo para alguns setores. Na Construção Civil, destaque para Campos e São João da Barra. Macaé lidera na criação de vagas na área de Serviços.

 

Tomando como base os dois maiores municípios do interior do Estado — Campos e Macaé — e São João da Barra hoje em evidência global com a construção do Superporto do Açu, do Grupo EBX, o economista destaca ponto por ponto desse processo de empregabilidade. Sobre o município de Macaé, destaque também no setor offshore, das 1.781 contratações em janeiro e fevereiro deste ano, 1.559 foram para o setor de serviços.
Sobre Campos, o presidente do Cidac, destaca que o município empregou 443 pessoas. Mas quando a analise é feita sobre os números positivos e negativos, a Construção Civil criou 901 vagas e o setor de serviços 233. O resultado que desequilibrou os números  ficou por conta do Comércio, que desempregou 578 trabalhadores nos dois primeiros meses. “Vejo a situação do Comércio como sazonal. É normal o desemprego nesse setor nos primeiros meses do ano. O aquecimento no número de vagas só começa a partir de maio, com as vendas pelo Dia das Mães, Pais e finalizado com o ápice que é o Natal”, ressalta.
Ainda pelos números, a mina de ouro parece mesmo estar em São João da Barra. Com 206 em-pregados em 60 dias, Ranulfo diz que o feito foi “superpositivo”. Segundo ele, se colocar na ponta do lápis, pelo número da população, São João da Barra supera Campos em contratação. “Se Campos contratou 443, num universo de 400 mil habitantes, São João da Barra contratou 206 em um universo de 30 mil habitantes, um feito positivo”, diz ele.  
São João da Barra, além da Construção Civil tem mostrado que o setor de Serviço começa a despontar de forma favorável, com 48 contratações. “Há um ano isso não era uma realidade”, conclui.

Fonte: Folha da Manhã

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *