Sem fazer qualquer menção aos graves problemas do setor elétrico, a Associação Brasileira de Distribuidoras de Energia Elétrica (Abradee) e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) iniciaram nesta semana uma campanha, em rádio televisão e internet, para incentivar o consumo consciente de energia no país. Cartilhas, já disponíveis on-line, dão dicas para economizar energia e informações sobre as bandeiras tarifárias, sistema que permite a cobrança mensal de um adicional pelo uso de energia de termelétricas.

Com o slogan “Levante essa bandeira”, a campanha teve um custo de R$ 20 milhões, financiado pelas distribuidoras de energia a partir do recolhimento de 0,5% da receita operacional líquida para projetos de eficiência energética. As peças publicitárias para a TV entrarão no ar no próximo domingo e serão estreladas pela atriz Taís Araújo.

Entre as orientações para poupar energia estão usar o chuveiro elétrico na posição verão ou morno e evitar banhos demorados, desligar a televisão enquanto não estiver sendo usada, juntar roupas para passar de uma só vez e usar máquina de lavar louça e roupa apenas quando estiverem cheias. Outras dicas são preferir a iluminação natural, pintar a casa com cores claras e trocar as lâmpadas incandescentes por fluorescentes, além de apagar a luz quando deixar o ambiente.

Em relação ao uso do ar-condicionado, a orientação é não deixar portas e janelas abertas quando o aparelho estiver ligado e manter os filtros sempre limpos. Na cozinha, é preciso verificar se a borracha da geladeira está em boas condições e não deixar a porta aberta mais do que o necessário. A campanha, que será veiculada até o fim do mês, também orienta a troca dos eletrodomésticos antigos por novos, com o selo de eficiência energética da Procel.

A cartilha, no entanto, não fala do risco de um racionamento de energia e de água em função da falta de chuvas e dos equívocos do governo ao lançar em 2012 um programa de redução dos preços da energia que acabou provocando distorções no setor.

Na semana passada, a Aneel aprovou a revisão extraordinária das tarifas para 58 das 63 distribuidoras de energia do país. O aumento, que começou a valer ontem (2), ficou em média em 28,7% para as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, e em 5,5% para as distribuidoras que atuam nas regiões Norte e Nordeste.

Além da revisão extraordinária, as distribuidoras passarão neste ano pelos reajustes anuais, que variam de acordo com a data de aniversário da concessão. Também comecaram a valer nesta semana os novos valores para as bandeiras tarifárias: quando a bandeira estiver vermelha, que significa custo maior de geração, haverá acréscimo de R$ 5,50 para cada 100 quilowatts-hora consumidos e, quando a bandeira estiver amarela, a cobrança será R$ 2,50 para cada 100 kw/h. Em janeiro e fevereiro deste ano, a bandeira tarifária aplicada foi a vermelha, que também deve ser adotada em março.

Segundo a cartilha publicada pela Abradee, a bandeira tarifária não representa mais um custo incluído na conta de luz, e sim uma forma transparente de mostrar os gastos que passam despercebidos pela maioria dos consumidores. Isso porque, antes das bandeiras, as variações nos custos de geração de energia eram repassadas anualmente no cálculo do reajuste anual da distribuidora.

“Não existe, portanto, um novo custo, mas um sinal de preço que sinalizará para o consumidor o custo real da geração no momento em que ele está consumindo a energia, dando a oportunidade de adaptar seu consumo, se assim o desejar ”, informa a cartilha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *