Objetivo seria fazer concurso público para ocupar os postos em 2012.

O projeto de resolução que cria 66 cargos para o PSD foi aprovado nesta ontem (14/12) na Câmara dos Deputados com um artigo adicional que impede a extinção de 300 cargos de nível médio da estrutura da Casa e dá amplos poderes à Mesa Diretora para criar, transformar e extinguir cargos, desde que não haja “acréscimo de despesas”.

O objetivo da medida seria “resguardar” 300 vagas que seriam extintas com a aposentadoria dos atuais ocupantes, conforme previsão em resolução anterior. Os cargos seriam ocupados após realização de concurso público em 2012, com salários de R$ 5,2 mil para nível médio. Após ser questionado por jornalistas sobre o assunto, o presidente da Câmara, Marco Maia, afirmou que vai revogar o artigo, porque foi “inserido inadvertidamente” no projeto de resolução.

O artigo 4ª do projeto diz o seguinte: “Desde que não acarrete acréscimo de despesas, a Mesa poderá dispor sobre requisitos, atribuições, criação, transformação, extinção e lotação de cargos da Câmara dos Deputados, com vista à racionalização e à modernização administrativa.” O artigo substitui uma resolução de 2006 que previa a extinção gradativa de 865 cargos de nível médio. Deste total, 565 já foram extintos e outros 300 ainda estão ocupados.

A proposta aprovada na Câmara suspenderia a progressiva extinção dos 300 cargos e faria a Casa deixar de economizar R$ 1,5 milhão. “Vamos, por ato da Mesa, repor a condição anterior, não permitindo nomeações para cargos que já estavam anteriormente extintos”, disse Marco Maia afirmando que vai revogar a nova resolução.

Tenho que concordar que que não da para continuar com esse exagero de cargos público na câmara e a sociedade pagando a conta. Se a resolução de 2006 já previa a extinção de 300 cargos gradativamente, querdizer que a câmara estes  cargos não farão tanta falta, senão não teriam entrado na lista de cargos a serem extinguidos.

A nova resolução dá amplos poderes à Mesa Diretora para criar, transformar e extinguir cargos, desde que não haja “acréscimo de despesa”, ou seja, querem convencer a sociedade que se houver aumento de cargos não haverá aumemento de despesas. Vamos ver se ficou claro, quem for trabalhar irá trabalhar de graça, ou eles irão dividir o sálarios, inclusive o deles, para pagar novos funcionários. Além de mandar a conta para nossos bolsos, ainda se comportam como o povo fosse ignorante e enganado por qualquer fábula.

Ah, só uma dúvida, com tanto cargos sendo preenchidos, sabe-se lá de que forma, SEM CONCURSO, QUEM GANHA MESMO ???? APOSTO QUE NÃO É A SOCIEDADE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *