Caros leitores, é bom ver que sempre vale a pena se ariscar em prol de todos, não podemos permitir que esse abuso continue, pois além de cobrar as taxas, temos sim que lutar pela melhoria de água, por um saneamento mas eficaz. Não tenho dúvidas de que essa será a primeira de muitas prisões que estão por vir, os verdadeiros culpados por taxas abusivas não podem ficar impunes.

 

Desacreditada, Águas Paraíba quer coibir furtos; PRP anuncia 80 ações contra concessionária

Terça-feira, 15  de abril de 2014     –      Foto: Saulo Garcez / Campos 24 Horas

Em dia de operação da concessionária para coibir furto de água, presidente de partido anuncia ações judiciais e diz que as maiores vítimas da concessionária são moradores de condomínios

GEDSC DIGITAL CAMERAResponsável pelo fornecimento de água e coleta e tratamento de esgoto em Campos, a concessionária Águas do Paraíba é considerada a que mais causou problemas ao consumidor, segundo dados oficiais do Procon. Em vez de anunciar ações para diminuir o alto índice de insatisfação, a concessionária faz nesta manhã uma operação para coibir “gatos”( supostos furtos de água).

Enquanto isso, consumidores tentam na Justiça reverter algumas cobranças que são consideradas abusivas. Em entrevista nesta segunda-feira(14) ao Campos 24 Horas, o presidente do diretório municipal do Partido Republicano Progressista(PRP), Fabrício Lírio, estima que cerca de 80 ações já foram ajuizadas nos últimos meses contra a concessionária Água do Paraíba por cobrança de valores que são incompatíveis com a realidade dos consumidores do município, sobretudo nos condomínios.

Segundo ele,o departamento jurídico do seu partido dá suporte a diversos condomínios, cujos moradores se mostram indignados pelos valores pagos à concessionária Águas do Paraíba.

“Estamos vendo cobranças que milhares de pessoas não podem suportar. Chegou a hora de sair em defesa da população que paga valores abusivos nas contas de água e esgoto. É preciso que ocorra uma mudança no parâmetro de cobrança da concessionária. Ela também cobra o mesmo valor pelo serviço de esgoto. É salutar que ocorra on tratamento do esgoto. Mas, sabemos que isso não ocorre. Basta verificar uma lingua preta que existe no Paraíba, nas proximidades da ponte da Lapa”, disse Fabrício Lírio, que citou ainda o caso de microempresários que também são vítimas de cobranças altíssimas quando pedem uma ligação de água e esgoto.
“A concessionária chega a cobrar cerca de R$ 3 mil a microempresários por uma ligação. É preciso dar um basta nestas cobranças”, destacou

 

Procurador explica prisão do Superintendente da conc. Águas do Paraíba

Atualizado: quinta-feira, 5 de junho de 2014   –  Foto: Saulo Garcez e Filipe Lemos / Campos 24 Horas

Procurador da República em Campos concedeu coletiva de imprensa e falou sobre a investigação que resultou em prisões por crime ambiental

Rio Paraíba esgotoProcurador 4O procurador da república em Campos, Eduardo Santos de Oliveira, concedeu  uma coletiva de imprensa na manhã desta quinta-feira (05), durante a qual falou sobre a prisão do superintendente da Concessionária Águas do Paraíba, Mário Fazza,  e de uma síndica de um dos blocos do condomínio “Balança mais não Cai”, no Parque Vicente Dias, em Guarus, acusados de crime ambiental, em razão de lançamento de esgoto in natura do Rio Paraíba do Sul.

Eduardo Santos Oliveira afirmou que a prisão se deu com base em um laudo probatório elaborado pela Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF) e por Informação Técnica do Ibama. De acordo com o laudo, foi constatada poluição do Rio Paraíba do Sul, a qual, segundo as apurações, é proveniente da Estação de Tratamento de Esgoto da Concessionária Águas do Paraíba e do Condomínio João Paulo II, conhecido popularmente como “Balança mas não cai”.

“Foi feita uma visita por técnicos do Ministério Público(PMF), técnicos da Uenf e  do Ibama, que constataram o despejo de esgoto. Eles recolheram amostras que foram levadas para Uenf”, disse o procurador. Ele acrescentou que a concessionária pode sofrer sanções graves. Ela certamente será responsabilizada criminalmente. E acredito que pode até ocorrer sanção administrativa, chegando a rescisão do contrato”, ressaltou.

Procurador 3Eduardo Santos Oliveira também ressaltou que o superintendente foi detido por ser o representante legal da concessionária que supostamente pratica danos ambientais.
Já a síndica foi detida em razão da constatação de que há lançamento de esgoto sem tratamento, de forma direta no Paraíba.

O MPF  instaurou procedimento investigatório criminal, a partir de reclamações da população diretamente veiculadas na mídia. O despejo de resíduos foi constatado por filmagem e fotografias.

Os presos foram encaminhados à Polícia Federal, para lavratura da prisão em flagrante. O caso foi atendido pelo Delegado de Polícia Federal de plantão, Anderson Lima Costa, que procedeu à oitiva dos envolvidos, com a instauração do devido inquérito policial.

Tanto o superintendente da concessionária quanto a síndica pagaram fiança e vão responder o inquérito em liberdade.Rio Paraíba esgoto 3Rio Paraíba esgoto 2

 

Relembre o caso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *